Política


Deputados do PSDB pedem a renúncia do senador Aécio Neves do mandato

Tucanos dizem que não há mais clima para o senador mineiro continuar no PSDB.




Divulgação
Divulgação

Os deputados estaduais Bruno Cunha Lima e Tovar Correia Lima, ambos do PSDB, defenderam a renúncia do senador Aécio Neves (PSDB-MG), da Presidência da legenda e do mandato no Senado Federal. Em contato com a imprensa, na manhã desta quinta-feira (18), durante audiência pública da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), os dois foram contundentes ao afirmar que não existe mais espaço no ninho tucano para o parlamentar mineiro.

O deputado Bruno Cunha Lima afirmou que passou a noite debatendo com dirigentes e parlamentares de outros estados, pertencentes aos quadros do PSDB, e que todos receberam consternados a notícia de recebimento de propina pelo senador mineiro, mas que foram unânimes em entender que “o partido não poderá pagar por um erro individual do senador Aécio Neves”.

Bruno disse ainda que segue o mesmo entendimento da Juventude Tucana, que já se manifestou por meio de nota (veja abaixo), favorável a saída do senador. “Pedimos a saída do senador Aécio Neves para que o partido não sofra mais, porque precisamos reconhecer que existe joio e trigo em todos os partidos, e em todas as instituições. Precisamos inverter a lógica e a proporção, precisamos ter uma sociedade engajada com a política para transpor esse momento”, disse.

O deputado Tovar Correia Lima foi mais direto e pediu a renuncia de Aécio Neves do Senado Federal. Ele disse que a Executiva Nacional do PSDB deverá pedir o afastamento do senador da Presidência da legenda o mais rápido possível, caso o próprio não o faça. “Acredito que ele deixe a Presidência num momento em que a Procuradoria Geral da República pediu a sua prisão e que o Supremo Tribunal Federal irá analisá-la, sendo assim, não podemos ter dois pesos e duas medidas. Delcídio do Amaral fez da mesma forma e perdeu o mandato, Aécio deverá sair honrosamente renunciando o mandato do senador da República ainda hoje ou talvez amanhã”, comentou.

Para Tovar, o caso de Aécio Neves foi isolado dentro do PSDB, mas exige uma reflexão das lideranças partidárias. “É claro que o PSDB precisa se repensar, encontrar um norte. Diante da Lava Jato, não cabe mais a classe política praticar atos de corrupção e isso deverá mudar com essas renúncias que se desenham”, concluiu.

Juventude Tucana pede a renúncia

A Executiva Nacional da Juventude do PSDB divulgou nota na manhã desta quinta-feira (18) na qual pede o “afastamento imediato” o senador afastado Aécio Neves da presidência nacional do partido.

Confira na íntegra a nota da JPSDB:

A Juventude do PSDB, consternada com a gravidade das denúncias veiculadas nos meios de comunicação e, consoante com a postura ética e transparente que a sociedade brasileira espera da nossa sigla, vem a público requerer o afastamento imediato do senador Aécio Neves da presidência nacional do PSDB.

Neste momento é preciso reforçar o compromisso do nosso partido em defender de forma intransigente a nossa democracia. Para tal, entendemos ser urgente e necessário que o partido possa ser conduzido por alguém que compartilhe dos mesmos valores que justificaram a fundação de nossa sigla.

Sem mais,

Executiva Nacional da Juventude do PSDB