Política


"O Brasil parou há dois anos", diz Ricardo em reunião dos governadores

Governador disse que a saída para a crise passa por investimentos nos Estados.  




O governador Ricardo Coutinho (PSB) teve participação incisiva durante o VIII Encontro dos Governadores do Nordeste, ocorrido nesta quinta-feira (11), no Centro de Operações e Inteligência de Segurança Pública, em Salvador (BA). Durante as discussões, o gestor socialista cobrou a pactuação de recursos e investimento público nos Estados, bem como a execução prática da Lei Complementar que trata da renegociação das dívidas dos entes federativos com a União.

“O sentimento que tenho é que o Brasil parou há dois anos e nada consegue andar. Se aprova uma lei de renegociação de dívidas, mas essa lei não consegue entrar em vigor um ano depois. Temos discussões com a presidência sobre a liberação de créditos, que os Estados têm direito, estou falando daqueles que estão equilibrados, mas absolutamente nada acontece. Não é possível que tratem as relações federativas dessa forma como o Brasil está tratando”, destacou o governador paraibano.

Apesar da forte declaração, o governador observou que sua avaliação não se tratava de uma crítica pessoal ao governo do presidente da República, Michel Temer (PMDB), ou a quem quer que seja. “É a expressão de um direito que nós, governadores, temos o dever de fazer para poder retomar o mínimo nível de crescimento que passa pelo poder público”, disse.

Ainda segundo Ricardo Coutinho, a saída para a recessão econômica passa obrigatoriamente por investimentos públicos, que favorecerá a retomada do desenvolvimento dos estados do Nordeste e do Brasil. “Isto só é possível com o aval do Governo Federal para que os estados possam contrair financiamentos e a partir daí promoverem os investimentos para o desenvolvimento necessário. Essa é uma pauta nacional, mas que o Nordeste tem mais afinidade, porque somos uma região mais próxima, o que nos permite tomar determinadas decisões”, pontuou.

A ideia foi compartilhada pelo governador do Piauí, Wellington Dias (PT). Segundo ele, as pautas discutidas na reunião são de interesse, não apenas do Nordeste, mas de todo o país. “Tivemos um entendimento com o presidente [Temer] para contratação de empréstimos para ajudar o Brasil a crescer, mas isso paralisou e queremos uma solução. E um último ponto é que, ano passado, foi aprovada uma regra que permitia o alongamento da dívida com o BNDES, porém ainda não tivemos a regulamentação”, frisou.

O VIII Encontro dos Governadores do Nordeste teve como pauta assuntos como a Previdência Complementar; o acordo com o Governo Federal para pagamento de empréstimo junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); Convalidação dos Benefícios Fiscais; Viabilização de novas operações de crédito e o cumprimento da Lei que estipula possibilidade de utilização de 10% de depósitos judiciais para precatórios.