Política


Romero diz que mais de 30 prefeitos querem sua candidatura ao governo

Tucano revela que, apesar disso, sua postulação precisa de apoio da oposição. 




Divulgação/Codecom-CG
Divulgação/Codecom-CG
Romero concedeu coletiva durante assinatura de acordo com o Airbnb com vistas à hospedagem no Maior São João do Mundo

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), disse nesta quarta-feira (10) que mais de 30 prefeitos estão estimulando sua candidatura ao governo do Estado. O tucano ressaltou que para consolidar a postulação precisa do apoio de seu partido e das demais legendas e lideranças da oposição.

A declaração de Romero foi feita durante entrevista no auditório do Ipsem, onde assinou acordo com o Airbnb com vistas ao Maior São João do Mundo. Trata-se de uma plataforma online que conecta viajantes a pessoas interessadas em obter renda extra, alugando um quarto ou imóvel inteiro por temporada.

No meio do mundo

Durante a entrevista, Romero revelou que ficou surpreso com os estímulos recebidos durante a manifestação dos prefeitos no dia 5, na BR-230, na Praça do Meio do Mundo. Ao ser indagado se a pré-candidatura ao Palácio da Redenção, estava no meio do caminho, ele brincou, respondendo que estava mais avançada.

“A minha candidatura está no meio no mundo. Eu fui até lá na praça. Isso é uma coisa que está sendo discutida com serenidade dentro do partido primeiro e depois tentar consolidá-la se for o caso junto às oposições. Eu tenho recebido muito estímulo. Isso é inegável. Onde eu ando, os prefeitos, as lideranças políticas, fazendo sinalização positiva em relação a uma eventual pretensão de uma candidatura para as eleições de 2018”, frisou Romero.

No entanto, o prefeito ponderou que “não existe nada de prego batido e ponta virada, algo que só vai acontecer no próximo ano. Depende, inclusive ainda, de forma antecipada de uma renúncia que só acontecerá no momento certo, se eu for candidato a governador”.

Pesquisa

Romero voltou a afirmar que seu candidato preferido no PSDB é o senador Cássio Cunha Lima, Todavia, se o tucano não desejar concorrer ao Executivo estatual, ele está à disposição do partido para empunhar de vez a candidatura.

Quanto ao critério para escolha do candidato da oposição, Romero Rodrigues salientou que não pode se limitar a uma pesquisa quantitativa, mas outros fatores, como sondagem qualitativa, apoio de partidos e lideranças e capacidade de chegada. “Não adianta sair na frente na pesquisa e não ter chegada”, explicou o prefeito campinense, que também não descartou uma conversação com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), que também é pré-candidato a governador.