Política

Ministro defende PEC dos Gastos e diz que país está quebrado

Osmar Terra, do Desenvolvimento Social e Agrário, defende freio de arrumação na gasto de verbas públicas. 



Divulgação
Divulgação
Ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra diz que Bolsa Família não será penalizada.

O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, disse nesta segunda-feira (28) que o Brasil está quebrado e defendeu a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC/55) para limitar os gastos durante 20 anos, a fim de equilibrar as finanças do governo federal. Ele ainda descartou que a área social vai ser prejudicada.

“A PEC é um freio de arrumação na gastança que estava ocorrendo. O Brasil está quebrado por causa da gastança. Estava se gastando muito mais do que se arrecadava. Então tem que dar um freio de arrumação. É um teto geral, mas dentro deste teto a prioridade é para a área social, inclusive o Bolsa Família”, explicou o ministro.

Demissões

Em relação à saída de seis ministros do governo Michel Temer, sendo cinco por denúncias de envolvimento com irregularidades, Osmar Terra disse que faz parte da democracia, pois aconteceu em várias gestões.

“Pode acontecer em qualquer governo. No governo anterior, também aconteceu. O governo Temer vai aos poucos se ajustando. Faz parte do processo democrático”, frisou Osmar Terra, que participou da solenidade de entrega do acelerador linear ao Hospital da FAP, juntamente com o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Eles também visitaram na cidade o Hospital Dom Pedro I, onde funciona o ambulatório especializado para atendimento às crianças com microcefalia e outros distúrbios causados pela Síndrome Congênita do Zika Vírus.