Política

Após encontro com Michel Temer, FHC diz que país precisa de união

"O PSDB se sente responsável pelo país", afirmou o ex-presidente  



Valter Campanato/ Agência Brasil
Valter Campanato/ Agência Brasil
FHC e Aécio Neves almoçaram com o presidente Temer no Palácio da Alvorada

Após se encontrar com o presidente Michel Temer, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que o PSDB "se sente responsável" pelo Brasil ao ser perguntado se o partido vai continuar ao lado do governo após a saída de Geddel Vieira Lima da Secretaria do Governo.

FHC e outros membros da cúpula da legenda almoçaram com Temer no Palácio da Alvorada. "O PSDB se sente responsável pelo país, que está num momento que precisa de união", afirmou FHC.

De acordo com Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, Michel Temer "sinalizou" que vai enviar a proposta da reforma da previdência ao Congresso Nacional já na primeira semana de dezembro. Mais cedo, Aécio também havia defendido o presidente no caso que envolve Geddel e o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero. De acordo com ele, a intenção do governo é encaminhar o texto após a votação em primeiro turno, no próximo dia 29, da proposta de emenda à Constituição que estabele um teto para os gastos públicos para os próximos 20 anos, a chamada PEC do Teto de Gastos.

Prefeito eleito de São Paulo, o também tucano João Dória foi questionado se o presidente Temer manifestou preocupação com o impacto da demissão de Geddel na articulação política com os parlamentares. "Preocupação não. Determinação de que ele quer fazer as reformas e tem apoio do PSDB para isso", disse.