Política

PSOL vai protocolar pedido de impeachment de Michel Temer

Ação tem por base denúncias do ex-ministro Marcelo Calero. 



A bancada do PSOL se antecipou ao PT e anunciou que vai protocolar na próxima segunda-feira (28/11), na Câmara dos Deputados, pedido de impeachment contra o presidente Michel Temer por crime de responsabilidade. “Agora sim estamos diante de um crime de responsabilidade sem margem para dúvidas”, afirma o líder do PSOL, deputado Ivan Valente (SP), em nota encaminhada à imprensa.

A peça terá como base as denúncias do ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, nas quais ele afirma que o presidente da República interveio em favor dos interesses do ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, para liberar uma obra em Salvador (BA).

Para o processo ser aberto, o pedido precisa ser acolhido pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (PMDB-RJ), aliado do governo. 

O PT havia conjecturado apresentar um pedido de impeachment na Câmara dos Deputados. Na quinta-feira (25), o líder dos petistas na Casa, deputado Afonso Florence (PT-BA), as bancadas na Câmara e Senado continuarão atuando para apurar o caso. 

Geddel pede pra sair

Geddel Vieira Lima, secretário de Governo de Michel Temer, decidiu pedir demissão após o agravamento da crise envolvendo seu nome, o próprio presidente e o ministro Eliseu Padilha. A carta com a decisão foi entregue a Temer na manhã desta sexta (25). Geddel já havia comunicado a aliados que deixaria o cargo.
Para o presidente nacional do PSOL, Luiz Araújo, a crise atual envolvendo a pressão de Geddel pra liberar empreendimento onde tem apartamento é simbólico do governo Temer. “Ele (Geddel) se demitir é uma forma de proteger o chefe. Temer está envolvido nesse e nos demais escândalos e deve sair imediatamente do governo”, afirmou, sobre o pedido de demissão apresentado pelo secretário de governo de Temer.