Política

Gestor que deixou Juazeirinho no escuro volta ao comando da prefeitura

Bevilacqua Matias foi derrotado em 2012 e conseguiu voltar à prefeitura nas eleições deste ano. 



Para alguns municípios o cenário não promete ser inovador a partir de janeiro de 2017, mesmo sendo eleitos candidatos de oposição. É o caso de Juazeirinho, no Seridó do Estado, onde foi eleito o ex-prefeito Bevilacqua Matias (PT do B), que administrou o município entre os anos de 2009 e 2012. Bevilacqua foi citado em uma reportagem do Fantástico, da Rede Globo, exibida em 13 de janeiro de 2013, como um dos prefeitos que entregou a gestão em condições precárias, sem energia elétrica e com o cofre quase zerado. Para a nova gestão, ele alega estar mais experiente e, por telefone, garantiu que vai fazer uma gestão diferenciada.

Em 2012, Bevilacqua foi derrotado pela candidata Carleusa Marques (PTB) e quando a nova gestora assumiu a prefeitura se deparou com uma situação caótica. Durante a entrevista concedida ao Fantástico, Carleusa afirmou que tomou posse com iluminação de velas, pois a conta elétrica do municipio não havia sido paga e estava cortada. Outra denúncia citada à época foi com relação ao dinheiro deixado no cofre do município, um valor de apenas R$ 2,10. Em contraponto aos demandos deixados pela gestão de Bevilacqua está a difícil condição de vida em Juazeirinho, que até hoje sofre com a severa crise hídrica.

Na época da reportagem, Carleusa havia afirmado que o antecessor não deixou nem os computadores usados na prefeitura, onde estariam os arquivos da cidade. Não conseguindo conciliar a profissão de médica com a de prefeita, Carleusa renunciou ao cargo em 2015 e o comando da prefeitura ficou com o vice-prefeito, Jonilton Fernandes, ex aliado de Bevilacqua, também como vice-prefeito. Jonilton foi candidato a prefeito nas eleições deste ano, mas foi derrotado justamente pelo ex-companheiro de gestão, Bevilacqua, que obteve 58,85%, equivalente a 5.911 votos válidos.

Bevilacqua havia divulgado uma nota em 2013, afirmando que em sua gestão foram adquiridos novos veículos como motocicletas, ônibus, ambulâncias e carros, dizendo ainda que toda a documentação da cidade estava no município. Além disso, a nota também esclarecia que foram deixados mais de R$ 300 mil em caixa para a área da saúde. Sobre o corte de energia elétrica, a justificativa foi de que a conta não foi paga para que o município não deixasse de pagar a folha de pessoal.

O caso estava sendo acompanhado pelo Ministério Público da Paraíba, através promotor de justiça, Pedro Alves da Nóbrega, que lamentou os demandos com um dinheiro público enquanto a população sofre com a falta de serviços básicos. “Não vemos a saúde, não vemos a segurança, a educação; não vemos funcionar da maneira que é pra funcionar. O município de Juazerinho está entre aqueles que hoje estão sofrendo com esse problema da seca, e não há a assistência necessária pra suprir essa falta. Não é suprido. Por quê? Por causa de desmandos com dinheiro público”, disse ao Fantástico.

Promete fazer diferente

Procurado pela reportagem do JORNAL DA PARAÍBA, o prefeito eleito de Juazeirinho, Bevilacqua Matias disse, por telefone, que vai fazer uma gestão diferenciada. O novo gestor disse que agora está mais experiente e conhece mais a cidade que vai administrar. Ele voltou a negar as denúncias mostradas na reportagem. “Eu agora tenho a experiência de conhecer mais o município, vou começar a gestão com poucas secretarias funcionando. Vamos fazer um recadastramento de todos os concursados para saber onde eles estão trabalhando. A gente sabe que a dificuldade é grande, mas temos que trabalhar com os pés no chão e gastando o mínimo possível”, pontuou.