Política

Aumento de 70% de salário de prefeito de Pocinhos revolta servidores

Sindicato realiza ato contra reajuste e atraso nos salários dos servidores.



 Após o prefeito reeleito de Pocinhos, Cláudio Chaves (PTB), sancionar a lei aprovada na Câmara Municipal que aumenta em até 70% o seu próprio salário do prefeito e seu vice, dos vereadores e secretários, o Sindicato dos Servidores do Município (Sintab) planejam realizar nesta sexta-feira (11) um protesto em frente à Câmara dos Vereadores, a partir das 10 horas. A queixa dos servidores é que os profissionais da saúde estão sem receber salários desde setembro. 

Com o aumento, o prefeito terá aumento de R$ 12 mil para R$ 17 mil, o vice-prefeito passa a ganhar R$ 12 mil. Já os secretários municipais terão um 'plus' de R$ 4 mil para R$ 7 mil. No legislativo, o futuro presidente da Câmara vai receber R$ 9 mil, enquanto os demais vereadores terão aumento de R$ 4 mil para R$ 7 mil. 

A diretora do Sintab Pocinhos, Cilene Sales, que o Sintab não irá retroceder até o efetivo pagamento dos servidores de Pocinhos. “Esse aumento é um escárnio não só aos servidores que neste momento encontram-se com os salários de setembro e outubro atrasados, como também a população em geral”, disse.

O ato faz parte da Paralisação Nacional Abrangendo todas as categorias dos servidores municipais. Na Paraíba, os protestos vão ocorrer em 15 cidades. Em Campina Grande irá ocorrer um ato público na Praça da Bandeira, a partir das 08h. A mobilização é contra a terceirização, a Lei da Mordaça, a PEC 241 o PLP 257, o PL 4567, a reforma da Previdência, a reforma do Ensino Médio, a flexibilização do contrato de trabalho, a prevalência do negociado sobre o legislado, e em defesa da lei do piso.

A reportagem do JORNAL DA PARAÍBA tentou entrar em contato com o prefeito Cláudio Chaves, mas o as ligações não foram atendidas.