Política

Sintab denuncia atraso no pagamento de salários em seis prefeituras

Em Arara, entidade conseguiu bloqueio de contas para pagar funcionários.  



Divulgação
Divulgação
Sintab prepara ações judiciais e protestos contra salários atrasados

A pouco mais de três meses do final dos mandatos dos atuais prefeitos, a direção do Sindicato dos Trabalhadores do Agreste da Borborema (Sintab) começou a pedir na Justiça o bloqueio de contas das prefeituras para pagar os salários dos servidores públicos municipais. A primeira decisão saiu em Arara em quanto, em Pocinhos, a entidades acionou o Ministério Público. Também são alvo de denúncias as gestões de Massaranduba,  Soledade, Serra Redonda e o setor da saúde de Campina Grande.

Em Arara, o representante do Sintab, Alexandre Xavier, impetrou um mandado de segurança na Justiça, pedindo o bloqueio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para assegurar o pagamento dos vencimentos atrasados dos funcionários da prefeitura. O pedido foi acatado

A exemplo de Arara, as prefeituras de Serra Redonda e Massaranduba atrasaram o pagamento em em dois meses dos servidores nas áreas de saúde, ação social, administração, finanças e agricultura. Nesta sexta-feira (21), os funcionários de Massaranduba fazem assembleia geral para decidir as medidas legais e se paralisam as atividades. A prefeita Joana D´Arc Coutinho (PSB), que não foi reeleita, promete atualizar os salários até dezembro. Já o gestor de Serra Redonda, Marcelo Andrade (PSDB), informou, por meio da assessoria, que a folha de setembro nesta sexta.

O prefeito de Soledade, José Bento (PT), revelou que está cortando gastos para quitar a folha de pessoal. Em Campina Grande, o Sintab critica o atraso dos salários dos servidores da Secretaria de Saúde. A assessoria de Comunicação da secretaria informou que 90% dos servidores efetivos da pasta já receberam os salários de outubro e restante perceberá até segunda-feira. A assessoria explica que o problema se deve ao fato de o governo federal ter atrasado em três meses o repasse e o governo do Estado não pagou os recursos de contrapartida.

Aumento de prefeito

Para o presidente do Sintab, Nazito Pereira, a justificativa dos prefeitos de que a crise econômica e fiscal que o país enfrenta é culpada pelo atraso nos vencimentos não procede. “Em algumas cidades, os prefeitos e vereadores aumentarem seus vencimentos, inchando a folha fiscal, como foi o caso recente de Soledade, em que na calada da noite cortou as mínimas gratificações dos servidores”, detonou Nazito.