Política

Durval revela acordo com Cartaxo para ficar na presidência da CMJP

Presidente planeja se eleger por um biênio e abrir a Mesa para outro aliado do prefeito. 



 A despeito da disputa interna pela presidência da Mesa Diretora da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), o atual presidente, Durval Ferreira (PP), deu como certa, nesta terça-feira (18)  a sua manutenção no posto, pelo menos para o próximo biênio. O vereador revelou que firmou um acordo pelo cargo com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), em troca de apoio do PP ao seu projeto de reeleição.

O acordo citado por Durval, no entanto, não foi confirmado pelo prefeito Luciano Cartaxo, que se encontra em Brasília. Segundo a Secretaria de Comunicação, o foco do prefeito neste momento é investir na gestão, é ir a Brasília em busca de recursos, é inaugurar as obras que estão em andamento na cidade. Disse ainda que somente em novembro vai começar a se preocupar sobre uma possível nova composição do secretariado e eventual composição da mesa diretora da Câmara, ressaltando que o Legislativo é um poder autônomo.

Seguro do que afirmou, Durval destacou que, “na construção desse apoio realmente o prefeito se comprometeu a primeira Mesa ser do PP”, fazendo referência à aliança com Cartaxo desde a sua primeira eleição para prefeito da capital. “Somos aliados de Cartaxo desde a primeira hora. A primeira eleição de Cartaxo o PP ficou junto com ele. Se a gente não fica ele nem teria sido candidato, porque nem o partido dele aceitava e depois aceitou”, completou. 

Apesar das declarações, Durval ainda encontra resistência na base aliada do prefeito na Casa, em especial com a bancada tucana, composta pelos vereadores Eliza Virgínia, Luís Flávio e Marcos Vinícius, este último na corrida pela presidência da Câmara. Dos três, Luíz Flávio é o único que tenderia a abandonar o ninho e votar com Durval. Para ele, em time que está ganhando não se mexe. “O único problema de Durval é que Eliza ainda está muito resistente e defende Marcos para presidente. Vamos esperar”, afirmou. 

O presidente Durval Ferreira ainda tem como obstáculos ao cumprimento do acordo as articulações da bancada oposicionistas, que tem como candidatos os vereadores Lucas de Brito (PSL), Bruno Farias (PPS) e até o novato Léo Bezerra (PSB). 

Segundo o atual mandatário do cargo, a preço de hoje ele já tem 13 votos certos e outros quatro fechados “de boca”. A expectativa de Durval é que após o encontro com o prefeito Luciano Cartaxo, depois que ele retornar de uma viagem oficial à Brasília para conseguir emendas da bancada ao Orçamento da União, seja instalada a harmonia entre os integrantes da bancada para selar o acordo da dobradinha dele no primeiro biênio e quem sabe Marcos Vinícius nos outros dois últimos anos. “A única coisa certa é que não vou ficar mais de dois anos na presidência da Casa. Da segunda não vou participar”, assegurou, ressaltando que pretende disputar em 2018 a eleição para deputado federal.