Política

Bolinha anuncia Observatório Social para fiscalizar prefeitura e Câmara

Artur diz que objetivo é ajudar na melhor utilização dos gastos públicos 



Divulgação
Divulgação
omônima de ONGs que se espalhou por cidades médias e pequenas do Brasil nos Bolinha explica que observatório vai integrar rede com 100 entidades em 19 estados

Passadas as eleições, Artur Bolinha (PPS) se prepara para duas missões. A primeira é reassumir à Presidência da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-CG) em novembro e tentar implantar o shopping a céu aberto no Centro da cidade. A segunda, como cidadão, é criar com um grupo de voluntários, o Observatório Social de Campina Grande com o objetivo de fiscalizar a aplicação dos recursos da prefeitura e do Poder Legislativo.

“A função do observatório será fiscalizar a aplicação dos recursos, orientar a gestão e, por conseguinte, ajudar na melhor utilização do dinheiro público”, frisou Bolinha, que recebeu 15.539 votos (7,03%) nas eleições do dia 2 de outubro, ficando na terceira colocação.

O trabalho vai ser inspirado no Observatório Social de São José, município de Santa Catarina. Com uma pequena sala, receita mensal de R$ 6 mil e 35 voluntários, o observatório integra uma rede homônima de ONGs que se espalhou por cidades médias e pequenas do Brasil nos últimos dez anos - e hoje soma mais de 100 entidades em 19 Estados, com atuação forte no Sul do país. Só em Santa Catarina, 19 cidades contam com esse tipo de iniciativa, segundo o site do OSB, o Observatório Social Brasileiro, lembra Artur Bolinha.

Em três anos, a equipe montada pelo voluntário Jaime Klein contribuiu, por exemplo, para elevar a economia do Legislativo da cidade - verba não gasta devolvida aos cofres públicos - de R$ 300 mil para R$ 8,5 milhões anuais. Ajudou ainda a suspender licitações suspeitas e colocou uma lupa sobre gastos da prefeitura.

Com uma pequena sala, receita mensal de R$ 6 mil e 35 voluntários, o Observatório Social de São José integra uma rede homônima de ONGs que se espalhou por cidades médias e pequenas do Brasil nos últimos dez anos - e hoje soma mais de 100 entidades em 19 Estados, com atuação forte no Sul do país. Só em Santa Catarina, 19 cidades contam com esse tipo de iniciativa, segundo o site do OSB, o Observatório Social Brasileiro.

Emancipação

Bolinha aproveitou o anúncio para registrar seus parabéns ao 152 anos de emancipação política de Campina Grande, cidade “que se fez verdadeiramente grande pela força de sua gente. Terra de um povo empreendedor, ousado, trabalhador, que desde sua gênese enfrentou e venceu a oposição, a má vontade e inércia do segmento político, construindo na luta cotidiana uma cidade que amamos e da qual nos orgulhamos”.

Por fim, ressaltou que “continuemos, nós, campinenses, acordando cedo, dormindo tarde, imbuídos na luta de quem constrói uma cidade com o suor do rosto, o labor das mãos e, acima de tudo, o amor de quem quer vê-la sempre grande e cada vez maior. Parabéns, Campina Grande”, concluiu o empresário.