Política

Assembleia Legislativa cria Frente Parlamentar para debater vaquejada

Trabalhadores ligados à prática querem apoio do legislativo para derrubar a decisão do STF. 



No dia em que centenas de trabalhadores e defensores da vaquejada protestaram pelas principais cidades da Paraíba, a Assembleia Legislativa da Paraíba resolveu instalar a Frente Parlamentar em Defesa da Vaquejada. A proposta, de autoria do deputado estadual João Gonçalves (PDT), foi aprovada na sessão ordinária desta terça-feira (11). Ao final da sessão, a Casa realizou uma audiência pública para debater a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que derrubou uma lei do estado do Ceará que regulamentava a vaquejada.

O requerimento foi assinado por outros 14 parlamentares com o intuito de discutir a continuidade da tradição nordestina e deve ser composta por aproximadamente sete parlamentares. "Vamos dar oportunidade para o contraditório, mas acima de tudo preservando a cultura nordestina", frisou João Gonçalves. Ele afirmou que um manifesto deve ser enviado com urgência ao Congresso Nacional. "Quem é parlamentar não pode ter medo de tomar um posicionamento. Maus tratos aos animais precisam ser proibidos e vamos discutir isso na Frente", garantiu.

O deputado destacou que a vaquejada é uma tradição nordestina que gera emprego, renda e movimenta a economia da Região. "Gera acima de tudo desenvolvimento", avaliou. 

O diretor de planejamento da Associação Brasileira de Vaquejada, Leon Freire, esteve presente à Assembleia e agradeceu o apoio dos parlamentares da Paraíba. “Defendemos uma vaquejada legal. Existe um regulamento com normas que protegem o boi, o vaqueiro de qualquer lesão, de quaisquer maus-tratos, isso não foi passado ao Supremo Federal. Fomos julgados por vídeos do Youtube e por regulamentos vencidos. Estão tentando colocar a sociedade contra uma prática que é secular”, criticou. 

Uma nova mobilização será realizada no dia 25 de outubro. Segundo Leon Freire, uma grande marcha rumo à Brasília será realizada na data, partindo dos estados em que a prática é realizada. 

Defensor da realização de vaquejadas, Robson Travassos, do Parque Haras RT, em Guarabira, parabenizou o deputado João Gonçalves pela iniciativa e destacou o impacto negativo que a decisão do STF causará na economia nordestina. "Mexe com 600 mil empregos diretos e indiretos no Nordeste. É mais uma vez uma atitude preconceituosa contra nossa região", disse.