Política

Estela Bezerra deixa CCJ para se preparar para campanha de 2018

Deputada quer se credenciar como nome do PSB na disputa para o governo.   



Com pretensões de ser o nome do PSB na disputa para o governo do estado em 2018, a deputada Estela Bezerra (PSB) disse nesta segunda-feira (10) que vai andar de mãos dadas com o governador Ricardo Coutinho (PSB) pelo interior da Paraíba. A socialista, que deixa a Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa no fim deste ano, quer dedicar os dois últimos anos do seu mandato a ser mais conhecida do eleitorado da capital, onde tem bases eleitorais.

A estratégia de Estela é ganhar espaço em áreas já dominadas pelo seu principal concorrente na disputa interna no 'girassol', o deputado Gervásio Maia (PSB), que além de ser conhecido no Cariri e Sertão, tem como trunfo a presidência da Assembleia Legislativa, que assume a partir de fevereiro de 2017.

A preocupação da socialista é evitar a definição de última hora e a derrota, como ocorreu na substituição do secretário João Azevedo pela candidata derrotada Cida Ramos (PSB), na disputa pela prefeitura de João Pessoa, pensamento compartilhado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), que admitiu nesta segunda-feira (10) que, apesar do crescimento rápida de Cida, a falta de tempo para divulgar o seu nome contribuiu para o fracasso nas urnas. 

Apesar do desafio, Estela Bezerra espera poder se dedicar melhor inteiramente ao seu mandato, focado nas causas sociais. “Sou muito conhecida na região Metropolitana [de João Pessoa]. Neste período eleitoral eu conseguir estar presente em cidades do Cariri e do Sertão paraibano. Existem algumas agendas e pautas que eu posso defender. Certamente as pautas de direitos humanos perpassam por todos os municípios”, afirmou.

Já o deputado Gervásio Maia ainda tem evitado falar em disputas internas. Futuro presidente do legislativo estadual, o socialista questionou a antecipação das articulações para a campanha estadual. “Seria muita precipitação falar sobre isso. Como é que a gente vai falar sobre a eleição de 2018, se nem terminamos a de 2016, sobretudo com as demandas que temos pelo estado da Paraíba”, comentou.