Política

Deputados da Paraíba vão a "jantar da PEC do Teto" com Temer

Presidente promoveu encontro para fechar número de votos para aprovação.



O presidente Michel Temer (PMDB) reuniu a base aliada na noite deste domingo (9) para um jantar no Palácio da Alvorada para cobrar fidelidade na votação da proposta de Emenda à Constituição (PEC 241/16) que limita o teto de gastos públicos, a chamada PEC do Teto. Pelo menos cinco parlamentares da Paraíba registraram presença no encontro: Rômulo Gouveia (PSD), Wilson Filho (PTB, além dos três representantes do seu partido Manoel Junior (PMDB), Hugo Motta (PMDB) e André Amaral (PMDB). 

O ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, responsável pela articulação política do governo também esteve presente à reunião e demonstrou confiança na aprovação da PEC do Teto. Ele afirmou que espera contar com mais de 350 votos para garantir a proposta, que deve ser votada em primeiro turno nesta segunda-feira (10) na Câmara dos Deputados. 

De acordo com Geddel, cerca de 280 parlamentares participaram do jantar e firmaram o compromisso de votar favoravelmente à proposta. Para ser aprovado, o texto precisa de no mínimo 308 votos. “Foram um pouco mais ou um pouco menos de 280, mas foi uma presença extremamente expressiva . Vamos contar com quórum significativo e vamos aprovar a matéria. Acho que com mais de 350 votos”, afirmou.

Apesar de não ter registrado presença no encontro, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB) já declarou votar favorável à proposta. O deputado Aguinaldo Ribeiro, líder do PP, também está fechado com o governo. Ele participou de uma reunião à tarde com a equipe de Temer. Não revelaram como votam o deputado Luiz Couto (PT), Damião Feliciano (PDT), Efraim Filho (DEM), Wellington Roberto (PR) e Benjamin Maranhão (SD). 

 

 

Agradecimento

Durante o evento, dois economistas falaram para tentar convencer os deputados sobre a necessidade de aprovação da matéria. Em seguida discursaram os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que também defenderam a aprovação.

Temer foi o último a usar a palavra e, segundo Geddel, agradeceu o apoio da base aliada. “O tom do presidente Temer foi de agradecimento pelo apoio que tem sido dado e reafirmando a importância para o país da aprovação expressiva dessa matéria.”

A PEC foi enviada pelo governo no primeiro semestre e estabelece que, pelos próximos 20 anos, as despesas da União só poderão ser reajustadas pela inflação do ano anterior.

Pelo Twitter, Temer agradeceu a presença dos parlamentares e disse que 300 parlamentares compareceram ao jantar. “Essa integração entre Executivo e Legislativo não vai parar amanhã e vai continuar até o fim do governo."