Política

Efraim chama STF de preconceituoso por proibir vaquejadas

Para o Democrata, a decisão foi equivocada e garante lutar para barrar proibição. 



 O deputado federal Efraim Filho (DEM) criticou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que declarou a  inconstitucionalidade das vaquejadas. Em sua conta no Facebook, nesta sexta-feira (7), o democrata classificou como equivocada e preconceituosa a decisão da Suprema Corte. “Ao decidir ser inconstitucional lei que regulamenta a atividade como esporte, desconheceu uma raiz histórica do nosso povo e que hoje ajuda a produzir renda, emprego e oportunidades numa região muito carente de investimentos”, disse.

Para Efraim Filho é de se estranhar também o fato de nada terem dito quanto ao rodeio, mais tradicional no sul do país. “Ficou sentimento de que também foi decisão preconceituosa com o Nordeste. Temos de preservar essa importante atividade que tantas alegrias, empregos e oportunidades traz ao nosso povo”, completou.

O democrata disse que não vai desistir da luta e garantiu que vai continuar lutando junto à  e vamos a lutar junto com a Associação Brasileira de Vaquejada (ABVAQ) para reverter a decisão e corrigir esse equívoco. 
 
Na quarta-feira (5), o deputado André Amaral (PMDB) chegou a defender, no Plenário da Câmara Federal, a manutenção da vaquejada, esporte que segundo ele gera mais de 1 bilhão de receita e 600 mil empregos no país.
 
Muito comum no Nordeste, a vaquejada é uma atividade competitiva no qual os vaqueiros tem como objetivo derrubar o boi puxando o animal pelo rabo.