Política

Patos: Lenildo vai cortar R$ 1,1 mi da folha para ajustar despesas à LRF

Prefeito interino revela que folha de pessoal consome 61% das receitas líquidas e já começou a fazer cortes.



Divulgação
Divulgação
Lenildo revela que Prefeitura de Patos tem dívidas de mais de 17 milhões

O prefeito interino de Patos, Lenildo Morais (PT), revelou nesta quinta-feira (6) que vem ajustando a máquina pública para chegar a um equilíbrio entre as despesas e receitas da prefeitura. O petista disse que terá que cortar 1,1 milhão da folha de pagamento para chegar ao gasto de permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal que é de, no máximo, 54% por cento da receita. Lenildo encontrou no mês passado, quando assumiu a gestão, uma folha de pagamento que consumia 63% .

Ao fim de 20 dias da gestão interina, com a exoneração principalmente de servidores fantasmas, foram diminuídos dois pontos, chegando ao patamar dos 61%. Números, no entanto, que precisam ser ajustados aos limites legais até o fim deste mês.

Para se ter uma ideia da situação encontrada, Lenildo citou o caso da Saúde, cujos recursos são destinados quase que completamente ao pagamento de pessoal. “No mês passado sobrou R$ 43 mil reais dos recursos da Saúde para mantermos um sistema com 38 postos, Samu, e todos os serviços”, desabafou. A Prefeitura está literalmente quebrada, com uma dívida de mais de R$ 17 milhões, conforme Lenildo.

Transição

Lenildo assumiu interinamente a chefia do Poder Executivo, no dia 9 de setembro, após o afastamento da prefeita Francisca Motta (PMDB) pela Justiça Federal. Ele concorreu a prefeito nas eleições do domingo (2), mas foi derrotado. O eleito foi Dinaldinho Wanderley (PSDB). Eles vão se reunir para discutir a transição de governo.