Política

Quatro chapas são homologadas para eleição de reitor da UFCG

Primeiro turno da consulta será realizado no dia 30 de novembro.



Leonardo Silva
Leonardo Silva
Atual reitor Edilson Amorim abriu mão de concorrer à reeleição

Quatro chapas concorrerão no processo de consulta à comunidade universitária para escolha do reitor e vice-reitor da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). A Homologação das candidaturas foi divulgada nesta terça-feira (4) pela Comissão Especial instituída pelo Colegiado Pleno. O atual reitor Edilson Amorim não quis disputar a reeleição. 

Com os candidatos a reitor e vice-reitor, respectivamente, foram inscritas as chapas Criar e Renovar: UFCG para Todos (Marcos Vinicius Lia Fook e Luciênio de Macêdo Teixeira), Muda UFCG (Rosilene dias Montenegro e Alecksandra Vieira de Lacerda), UFCG: Experiente e Renovada (Vicemário Simões e Camilo Allyson Simões de Farias) e UFCG Novos Rumos (John Kennedy Guedes Rodrigues e Luis Henrique Hermínio Cunha), seguindo a ordem de divulgação do Edital de Homologação.

Na próxima sexta-feira, dia 7, a Comissão Especial realizará o sorteio público que definirá a ordem das candidaturas nas cédulas eleitorais. E, segundo o presidente da comissão, Manassés Agra, terão início as discussões para definição de regras e do calendário dos debates entre os candidatos. A reunião acontecerá às 10 horas, na Unidade Acadêmica de Engenharia Mecânica.

A consulta para reitor e vice-reitor da UFCG será realizada no dia 30 de novembro. E, caso necessário, o segundo turno acontecerá no dia 14 de dezembro. O período de campanha oficial (realização de debates e reuniões públicas, entre outras ações regulamentadas pela comissão especial) se encerrará no dia 27 de novembro.

A homologação do resultado e a elaboração da lista tríplice pelo Colegiado Pleno, para encaminhamento ao Ministério da Educação (MEC), acontecerão, provavelmente (caso haja segundo turno), no dia 19 de dezembro. Os eleitos serão investidos nos cargos em fevereiro do próximo ano e administrarão a UFCG no quadriênio 2017-2020.

Proporcionalidade

O processo de escolha será realizada de forma proporcional, cabendo aos servidores docentes o peso de 70% e servidores técnico-administrativos e estudantes 15%, cada, seguindo a Lei das Diretrizes Básicas da Educação.

O contingente "eleitoral" é de 17.497 alunos, 1.399 técnicos e 1.520 professores - que, ponderados, representam 1.064 votos docentes e 228 técnicos e 228 discentes, com dados levantados no último dia 24 de agosto.