Política

MPPB abre inquérito para investigar suposta improbidade de Cláudio Lima

Dinheiro interceptado em carro seria destinado ao pagamento de propina.



Magnus Menezes
Magnus Menezes
Supostamente secretário teria interferido em inquérito policial de 2011

As suspeitas de interferência indevida do secretário de Segurança e Defesa Social, Cláudio Coelho Lima, na condução de inquérito policial serão investigadas pelos Ministério Público Estadual. O promotor de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, Carlos Romero Lauria Paulo Neto, determinou a instauração de um inquérito civil público nesta terça-feira (10), atendendo a representação feita pela advogada Laura Taddei Berquó.

A denúncia feita pela advogada Laura Berquó, em março de 2016, ao Ministério Público é de que Cláudio Lima teria interferido nas investigações referente à quantia de R$ 81 mil apreendidos em 2011, que seriam supostamente destinados ao pagamento de propina a secretários de estado. Ainda de acordo com a denúncia, o suposto ato do secretário se enquadra como uma improbidade administrativa.

O despacho do promotor determina que a denunciante, Laura Berquó, seja notificada para apresentar informações detalhadas e documentos adicionais à denúncia. Procurado pelo JORNAL DA PARAÍBA, Cláudio Lima afirmou que ainda não foi notificado da abertura do inquérito e que espera que haja uma investigação sobre o caso.

Entenda o caso

De acordo com a denúncia, a polícia interceptou um veículo, durante uma blitz ocorrida no dia 30 de junho de 2011, no veículo foi encontrado a quantia de R$ 81 mil. O dinheiro supostamente teria origem em Recife e seria destinado ao pagamento de propina ao atual procurador geral do Estado, Gilberto Carneiro, a atual secretária de Administração, Livânia Farias, e ainda para o irmão do governador Ricardo Coutinho, Coriolano Coutinho e para Laura Farias, da Sudema. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.