Política

Ministério da Saúde garante recursos para Hospital FAP e ISEA

Romero Rodrigues consegue recursos durante audiência com ministro Ricardo Barros.  



Divulgação
Divulgação
Romero, Enivaldo, Cássio, Aguinaldo e Luzia Pinto participam de audiência com ministro Ricardo Barros

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, revelou que conseguiu, junto ao Ministério da Saúde, o aporte de mais incentivos financeiros para o Hospital da FAP e o Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (ISEA).

Em audiência com ministro da saúde, Ricardo Barros, na tarde desta terça-feira (7), em Brasília, Romero assegurou a habilitação da UTI Materna da maternidade pública da cidade, assim como o aumento do teto financeiro para custeio do tratamento de radioterapia, beneficiando não apenas os cidadãos campinenses, mas também dezenas de paraibanos que utilizam os dois serviços de saúde.

Acompanharam Romero Rodrigues na audiência com o ministro o senador Cássio Cunha Lima, o vice-prefeito Enivaldo Ribeiro, o deputado federal Aguinaldo Ribeiro, a secretária municipal de saúde, Luzia Pinto, e a prefeita do município de Monteiro, Ana Lorena. A ex-prefeita de Pilar, Virgínia Veloso, também participou do encontro.

Com a habilitação da UTI Materna do ISEA, a Prefeitura passará a receber R$ 984.700, por ano, para custeio da assistência prestada na unidade. Desde que foi criada, em junho 2014, a UTI Materna do hospital vem sendo mantida apenas com recursos próprios do Município.

Antes, as puérperas que precisavam de internação em unidade de terapia intensiva eram transferidas de ambulância para outros hospitais da cidade. Com a implantação da UTI, foi possível diminuir definitivamente o tempo de resposta no atendimento de urgência dos casos mais graves da maternidade.

Hospital da FAP

Já em relação à FAP, o Ministro Ricardo Barros informou que determinou a realização de um estudo para definição do valor que será destinado à recomposição do teto de radioterapia do município. Atualmente, o Governo Federal repassa pouco mais de R$1,4 milhão para custeio das sessões de radioterapia no município.

No entanto, somente no ano passado, a Prefeitura repassou mais de R$2,4 milhões para a FAP, somente para o custeio desse tipo de procedimento. Em Outubro do ano passado, a FAP passou a contar com um segundo acelerador linear, dobrando a capacidade de atendimentos na unidade.

Mais conquistas

De acordo com Romero Rodrigues, o ministro ainda assegurou ainda que o Ministério da Saúde poderá também aumentar o teto financeiro para custeio das cirurgias oncológicas realizadas na rede pública municipal de saúde de Campina Grande ainda este ano.

"É um gesto importante e necessário, pois estamos falando na garantia do direito ao o tratamento rápido e de qualidade para pacientes de câncer de mais de cem cidades da paraíba", reconheceu o prefeito.

Após a audiência, o prefeito Romero Rodrigues agradeceu o empenho do ministro Ricardo Barros com as questões da saúde de Campina Grande e destacou a importância do novo aporte de recursos para a pasta.

"A habilitação da UTI Materna do ISEA, com a garantia dos incentivos, vai dar um fôlego para as contas da Prefeitura. O mesmo acontece em relação à FAP, uma vez que o financiamento do tratamento de oncologia é federal, mas, mesmo assim, a Prefeitura está destinando quase R$ 2 milhões por ano para evitar que estas pessoas deixem de fazer o tratamento", destacou. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.