Política

Membro do partido de João Azevêdo, deputado Bosco Carneiro dispara contra criação da PB Saúde

Parlamentar disse que se trata de uma “OS com cara de fundação”.




Bosco foi um dos maiores críticos da criação da Fundação (Foto: Divulgação/ALPB)

Durante a sessão que aprovou a criação da Fundação PB Saúde, nesta quarta-feira (12), a postura de alguns parlamentares chamou a atenção. O deputado Bosco Carneiro, que pertence ao Cidadania, mesmo partido que João Azevêdo, além de votar contra o projeto, ainda disparou várias críticas contra o Governo do Estado. Jane Panta (PP), que é do bloco de oposição, acabou votando pela aprovação e o deputado João Henrique (PSDB) se absteve, mesmo não deixando claro os motivos da sua escolha.

No Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), inclusive, Bosco Carneiro consta como membro da Comissão Executiva do diretório estadual do Cidadania. O deputado ainda é líder da bancada na ALPB, exatamente do partido que é presidido por Ronaldo Guerra, chefe de gabinete de João Azevêdo.

Bosco usou a tribuna antes da votação e disse que a criação da PB Saúde não muda a realidade da saúde no estado. Ainda segundo ele, será uma Organização Social transfigurada de fundação.

“Agora, depois de um ano de investigação, onde o Ministério Público está denunciando, com risco até para o próprio governo, estamos nos reunindo para criar uma OS com cara de fundação. Qual é a diferença? A população já vai perder 20 milhões de cara. É uma OS transfigurada de fundação. Isso é justo? Sinceramente, é vergonhoso o governo dizer que os médicos estão sem receber, as pessoas estão sem atendimento, porque a Assembleia não aprovou essa fundação”, disse Bosco.

O parlamentar ainda fez uma série de questionamentos sobre a realização de concursos públicos para a PB Saúde, fazendo um comparativo com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que cuida da gestão dos hospitais universitários do país.

“Onde está o concurso para essa fundação? Não vai existir. A fundação que rege o HU faz concurso, mas essa fundação só é pública porque está sendo criada por um ente público. Estão antecipando uma fraude escancarada”, disparou.

“Doutora Jane, Galego e Cláudio não estão à venda”

Foi assim que a deputada Jane Panta fez a sua defesa e dos seus colegas, os deputados Galego Souza e Cláudio Régis. Mesmo sendo da bancada de oposição ao governo, os três votaram a favor do projeto de criação da Fundação PB Saúde.

Para Jane, que é médica e tem como reduto eleitoral a cidade de Santa Rita, na Grande João Pessoa, votar contra o projeto do governo é trabalhar contra o Hospital Metropolitano, que fica no município.

“Eu não posso votar contra, por causa daquelas pessoas que estão dentro do hospital esperando que se compre uma prótese, um medicamento e nós sabemos o quanto isso é difícil. Quem é médico, quem é gestor, sabe o quanto isso atrapalha. Fazer licitação é algo que demora e quem está doente não pode esperar. Não é questão de que a oposição rompeu, se separou ou se vendeu. Ninguém aqui está à venda, principalmente Doutora Jane, Galego [Souza] e Cláudio [Régis]”, falou.

Única abstenção

O deputado João Henrique (PSDB) foi o único que se absteve, durante a votação realizada nesta quarta-feira (12). Mesmo sem deixar tão claro, ele atribuiu o seu posicionamento a membros do seu partido, que segundo o deputado, “indiretamente tomaram esta posição”.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.