Política

Marcélia Cartaxo e Soia Lira são agraciadas com o título de cidadania pessoense

Solenidade para atrizes cajazeirenses foi realizado na CMJP nesta segunda (18).




Foto: divulgação/CMJP

As premiadas atrizes paraibanas Soia Lira e Marcélia Cartaxo foram agraciadas  com o título de cidadania pessoense. A homenagem foi prestada na Câmara Municipal de João Pessoa, na tarde segunda-feira (18), com a presença de familiares, amigos e autoridades. Segundo a autora da proposta, a vereadora Helena Holanda (Progressistas), a homenagem é devido aos serviços prestados à cidade no exercício da atividade artística e cultural.

As artistas cajazeirenses foram premiadas no 47° Festival de Cinema de Gramado, em agosto deste ano, pela atuação no filme ‘Pacarrete’, Marcélia Cartaxo com o prêmio de melhor atriz e Soia Lira o de melhor atriz coadjuvante. Além das duas, o filme contou também com a participação da renomada atriz Zezita Matos. Neste domingo (17), elas foram homenageadas no encerramento da II Mostra de Cinema Walfredo Rodriguez.

“Só tenho a agradecer a honra de estar recebendo todo carinho, ainda mais o recebendo ao lado da minha amiga de infância. Tenho uma imensa gratidão por ser paraibana, por ser esse ser raquítico, pelos pequenos preconceitos que eu vivenciei nas minhas idas e moradas fora do meu estado. Isso não nos atinge quando temos um objetivo grande vencer, principalmente através da arte”, desabafou Marcélia Cartaxo.

Soia Lira, declaradamente nervosa e emocionada, também agradeceu o título de cidadania. “Carrego uma historia de meu esforço pessoal, mas principalmente e muitos que estiveram comigo nessa jornada, seja no teatro ou na televisão, companheiros que lutam para se manter viva arte que fazemos na Paraíba e levamos ao Brasil. Vim de uma cidade pequena e ao contrário de conterrâneos sertanejos tivemos a oportunidade de ter contato com o teatro”, comentou.

 

Marcélia Cartaxo

Nascida em Cajazeiras, em 27 de outubro de 1963, Marcélia de Souza Cartaxo é uma atriz versátil. Começou a atuar ainda na infância. Na década de 80, viajou pelo Brasil com a peça “Beiço de Estrada”, texto de Eliézer Rolim. Foi convidada pela cineasta Suzana Amaral para o papel de Macabéa em “A Hora da Estrela”, adaptação do livro homônimo de Clarice Lispector. Pela atuação, recebeu o “Urso de Prata” no 35º Festival de Berlim (Alemanha) e o “Candango”, no Festival de Brasília (DF). Trabalhou em diversas obras para TV e cinema.

Começou a carreira de diretora em 2002 e atuou como Coordenadora de Audiovisual da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope). Atuou também em “Madame Satã”, “O Céu de Suely”, “Baixio das Bestas” e “Pacarrete”, pelo qual recebeu o Kikito de Ouro, no 47º Festival de Cinema de Gramado (RS) e foi premiada como Melhor Atriz no 26º Festival de Vitória (ES), por “Pacarrete” e “Seu Amor de Volta (Mesmo que ele não queira)”, de Bertrand Lira.

Soia Lira

Também natural de Cajazeiras, Maria Auxiliadora Lira de Souza, mais conhecida como Soia Lira, começou a atuar ainda na infância. Como integrante do Piollin Grupo de Teatro, subiu ao palco com o espetáculo “Vau da Sarapalha”, de Luiz Carlos Vasconcelos, uma das mais longevas montagens do grupo e mais importantes da atual história do teatro brasileiro contemporâneo.

A sua atuação mais marcante no cinema nacional é em “Central do Brasil”, no papel de Ana, contracenando com Fernanda Montenegro. Também atuou em “Abril Despedaçado”, “O Quinze” e “Pacarrete”, com o qual conquistou o Kikito de Melhor Atriz Coadjuvante no Festival de Gramado.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.