Política

Antes do Carnaval, lideranças políticas antecipam debate sobre Eleições 2020 na Paraíba

Nomes já despontam para disputa das prefeituras em João Pessoa e Campina Grande.




Cartaxo e Romero estão no último ano de mandato (Foto: Arquivo)

Se em pleitos anteriores as lideranças políticas deixavam para apresentar suas movimentações políticas para as eleições só após o Carnaval, em 2020 o tabuleiro começou a ser montado nestes primeiros 20 dias do ano. Em João Pessoa e Campina Grande, em que os dois prefeitos – respectivamente Luciano Cartaxo (PV) e Romero Rodrigues (PSD) – não disputam a reeleição, mas pretendem, claro, deixar sucessores na cadeira, a corrida por espaços e alianças está em ritmo acelerado.

Embora diga que vai deixar a colocação de nomes para após a folia de Momo, o líder do Partido Verde (PV), Luciano Cartaxo, já iniciou as tratativas da legenda para lançamento de candidatura própria. O partido se reuniu no último dia 11 de janeiro e fechou que terá candidato, já que é prioridade da Executiva Nacional vencer as eleições no maior número de capitais possíveis. O nome, especula-se, deve sair do próprio núcleo de auxiliares do prefeito e giraria em torno de três secretários: Diego Tavares (Desenvolvimento Social),  Zennedy Bezerra (Desenvolvimento Urbano) e Daniela Bandeira (Planejamento).

Alinhado politicamente na capital, o PSDB também estaria de olho na cadeira de Cartaxo. A Executiva Estadual iniciou os preparativos para as eleições de outubro com a elaboração de uma campanha de filiações em todos os municípios do Estado, principalmente João Pessoa e Campina Grande. Apesar de terem correligionários na equipe do prefeito e de circularem com o nome do ex-prefeito Cícero Lucena como possibilidade para outubro, a tese oficial é do nome do deputado federal Ruy Carneiro para a disputa na capital.

Ainda do grupo aliado, o vice-prefeito da capital, que é também presidente estadual do Solidariedade, Manoel Junior, também corre por fora e já demonstrou o interesse em enfrentar o pleito. A pré-candidatura é fruto de uma orientação do partido em lançar nomes nas Eleições 2020.

João

Afastado politicamente do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), o governador João Azevêdo, ainda sem partido, poderia ser mais um possibilidade de aliança com o grupo de Cartaxo. A nomeação do vereador Tibério Limeira (PSB) para a estratégica secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano, entretanto, gerou especulações de que, para evitar alianças comprometedoras com o seu projeto político, lançaria candidatura própria.

Foto: José Marques/Secom-PB

Do mesmo grupo político de João na esfera estadual, o PTB e o Podemos resolveram marchar juntos para as eleições deste ano em todo o estado. Uma das possibilidades na capital é o lançamento do nome do deputado estadual Wilson Filho (PTB) para a disputa. Nas eleições municipais passadas ele tentou ir para o confronto, mas terminou como vice de Cida Ramos (PSB) e saiu derrotado.

Já o antigo partido de João, o PSB recuou nas movimentações para projetar o nome de Ricardo Coutinho como futuro candidato do partido para prefeito, após os últimos desdobramentos da Operação Calvário, denominada Juízo Final, que resultou na prisão do ex-governador. Para completar as indefinições, Ricardo deixou o comando da legenda na Paraíba que passou oficialmente às mãos do deputado federal Gervásio Maia (PSB). O novo presidente do PSB, inclusive, passou a ser apontado como possibilidade para substituir também Ricardo Coutinho nas urnas em outubro.

Direita e esquerda

Uma terceira via que se forma na capital é no campo da direita, com o PSL, antigo partido do presidente Jair Bolsonaro. Neste grupo, desponta tanto com o nome do deputado cabo Gilberto, que está em seu primeiro mandato, como o do radialista Nilvan Ferreira.

Na outra ponta, partidos da esquerda também já formularam resolução em torno da candidatura própria. O PCdoB anunciou no último dia 11 de janeiro que terá candidatura própria à prefeitura de João Pessoa e apresentou quatro nomes que vão disputar internamente esta vaga: o ex-deputado estadual Simão Almeida, o ex-secretário do Procon, Marcos Santos, o radialista Jonildo Cavalcanti e a advogada Gregória Benário, que disputou uma vaga na Câmara Federal no último pleito.

O PSOL realiza neste final de semana o 1º Seminário Programático Eleitoral do partido no estado, o evento dá o ponta pé inicial para as eleições de 2020. O afastamento de políticos e partidos da base aliada do presidente Jair Bolsonaro é uma das preocupações da legenda.

Campina Grande

Em Campina Grande, aliados do prefeito Romero Rodrigues disputam o posto de escolhido para a sucessão. O ex-deputado Bruno Cunha Lima, por exemplo, se antecipou e deixou a chefia de gabinete do prefeito de olho na vaga.

Quem também tenta espaço para concorrer como candidato é o deputado Tovar Correia Lima (PSDB), atualmente na pasta de Planejamento e Gestão de Campina Grande. Fechado com a candidatura própria na Rainha da Borborema, o nome do deputado federal Pedro Cunha Lima, que é atualmente o presidente estadual do PSDB, é outro colocado como forte possibilidade para a disputa.

No campo das oposições, PTB e Podemos estarão trabalhando o nome da secretária de Desenvolvimento e Articulação Municipal do Governo do Estado, Ana Cláudia Vital do Rêgo, como pré-candidata à prefeitura de Campina Grande. Ela é esposa do senador Veneziano Vital do Rêgo, que já foi prefeito da cidade.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.