Política

João defende ampliação de investimentos em energias renováveis em Conferência do Clima

Governador assinou documento se comprometendo com ações para melhor o planeta.




João participou de Conferência do Clima, realizada em Recife, nesta quarta-feira (6). Foto: divulgação/secom-PB

O governador João Azevêdo (PSB) e demais governadores do Nordeste assinaram, nesta quarta-feira (6) a Declaração do Recife, documento que apresenta diretrizes de desenvolvimento sustentável para o poder público, empresas e a sociedade civil. A assinatura ocorreu durante a Conferência Brasileira de Mudança do Clima, que acontece até sexta-feira (8) na capital pernambucana. Na ocasião, o governador da Paraíba defendeu a ampliação de investimentos na geração de energias alternativas, como a eólica e solar, como forma de minimizar o custo e permitir a mudança da matriz energética do próprio Nordeste.

“São diversas as frentes que temos que pensar, levando em consideração, acima de tudo, a preservação ambiental e é possível fazer isso em função do que hoje, tecnologicamente, é disponibilizado. A meta do carbono zero precisa ser buscada em todo o Brasil pelo potencial que o país tem, preservando o meio ambiente para termos um desenvolvimento sustentável”, observou João.

Ele também destacou o compromisso dos governadores do Nordeste, por meio do Consórcio Nordeste, com o meio ambiente. “Esse é um dos pontos prioritários e será defendido pelos governadores da região por ser uma questão importante para o Brasil. Quando temos um desastre terrível como o que atingiu as praias do Nordeste sabemos da consequência disso para a economia nacional e esse é um problema muito sério que precisa ser tratado de uma maneira mais objetiva do que a presenciada até agora”, pontuou.

Declaração de Recife

A Declaração de Recife prevê a implementação de medidas de mitigação às mudanças climáticas, por parte do poder público, e a redução de emissão e o fim do desmatamento ilegal, por parte das empresas privadas; e feita a leitura da Carta dos Órgãos Estaduais de Meio Ambiente pelo Clima, que teve a adesão de todos os Estados da federação.

Elaborado por entidades públicas e privadas, organizações não governamentais e acadêmicos, o documento apresenta metas para priorizar o cumprimento da agenda de descarbonização até 2030 e para zerar a emissão em 2050.

Conferência do Clima

A Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC) segue até a próxima sexta-feira com o objetivo de discutir e apresentar propostas de implementação da NDC brasileira (Contribuição Nacionalmente Determinada), documento do Estado brasileiro que registra os principais compromissos e contribuições do país para o acordo climático.

A CBMC visa demonstrar que a sociedade e o setor produtivo brasileiro mantêm-se firmes no Acordo de Paris e que o protagonismo na agenda de clima, florestas e desenvolvimento sustentável e a governança climática são grandes oportunidade para o Brasil; promover compromissos empresariais e prioridades para a agenda de clima, florestas e desenvolvimento sustentável; e apresentar experiências, negócios, soluções, tecnologias e políticas brasileiras que valorizam, integram e fazem progredir os resultados da governança climática.

Os governadores Paulo Câmara (Pernambuco); Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte); Renan Filho (Alagoas); Wellington Dias (Piauí); e Belivaldo Chagas (Sergipe); além de João Leão (governador em exercício da Bahia), Carlos Brandão Júnior (vice-governador do Maranhão), e Geraldo Júlio (prefeito de Recife) marcaram presença na Conferência.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.