Política

Governo federal não tem prazo para a retomada do bombeamento da Transposição

Águas pararam de abastecer canal após problema em barragem no estado de Pernambuco.




Águas não chegam ao território paraibano desde fevereiro (Foto: Geri Júnior/Divulgação)

O governo federal ainda não tem um prazo estabelecido para a retomada do bombeamento da Transposição do Rio São Francisco. A informação foi divulgada em nota pelo Ministério do Desenvolvimento Regional. Desde o mês de fevereiro, as águas não chegam à Paraíba.

O bombeamento foi interrompido por conta de um problema na barragem de Cacimba Nova, que fica na cidade de Custódia, em Pernambuco. De acordo com o MDR, a paralisação foi uma recomendação da Agência Nacional das Águas (ANA), para que fosse averiguada a segurança do reservatório. Após investigações na barragem, a estrutura foi liberada em julho para novas avaliações, o que incluiu a retomada do bombeamento. No entanto, em agosto, os equipamentos de monitoramento emitiram alerta durante a fase final de enchimento da barragem. Com isso, o MDR determinou a interrupção da atividade.

O MDR diz que a empresa que opera o Eixo Leste está fazendo perícia para identificar os ajustes necessários à estrutura e indicar ações preventivas que deverão ser feitas para que o bombeamento seja retomado. A previsão é de que esses estudos sejam concluídos em 30 dias, mas não se sabe quando as águas do São Francisco vão voltar a percorrer o canal da Transposição.

Na nota, o MDR admite a existência de 2,1 quilômetros com problemas no Eixo Leste da Transposição. As falhas ficam entre a cidade de Sertânia (Pernambuco) e a divisa da Paraíba, mas segundo os técnicos não comprometem a operação do sistema. Esse problema foi identificado em uma inspeção após a interrupção do bombeamento.

O órgão explica que a construtora responsável pela obra foi acionada para consertar e resolver os problemas nos canais. O governo alega que não haverá pagamento em duplicidade

Ato público no domingo

A nota divulgada pelo MDR é uma resposta ao ato político realizado no domingo (1º) na cidade de Monteiro, Cariri da Paraíba. Liderado pelo ex-governador Ricardo Coutinho e com a presença de várias lideranças, entre elas o candidato à presidência pelo PT em 2018, Fernando Haddad, o evento foi organizado para cobrar do governo federal uma posição sobre a situação da Transposição.

Na ocasião, Ricardo chegou a defender que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) fosse representado no Ministério Público Federal (MPF) para responder pessoalmente pela situação da obra.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.