Política

Gastos não comprovados reprovam contas do gestor de Catingueira

Prefeito Albino Félix não comprovou despesas de R$ 18 mil com assessoria jurídica.  




Mais um prefeito teve contas rejeitadas e pode entrar no grupo dos "fichas-sujas". O Tribunal de Contas da Paraíba, reunido nesta quarta-feira (13), emitiu parecer contrário à aprovação das contas de 2013 do gestor de Catingueira, no Sertão, Albino Félix de Sousa Neto, a quem impôs débito superior a R$ 18 mil por despesas não comprovadas com assessoria jurídica, conforme voto do conselheiro Fernando Catão, relator do processo Ainda cabe recurso.

Ainda na sessão, o TCE aprovou as contas dos prefeitos de Serra Grande (Jairo Halley de Moura Cruz, exercício de 2013) e, ainda, as encaminhadas à sua análise pelas Câmaras Municipais de Lucena (exercício de 2014) e Mataraca (2013, com ressalvas).

Conduzida pelo vice-presidente André Carlo Torres Pontes (no exercício da Presidência, em razão de viagem institucional do titular Arthur Cunha Lima), a sessão plenária teve as participações dos conselheiros Arnóbio Viana, Fernando Catão, Fábio Nogueira e Marcos Costa. Também, dos conselheiros substitutos Antonio Cláudio Silva Santos e Oscar Mamede Santiago Melo. O Ministério Público de Contas esteve representado pelo subprocurador geral Manoel Antonio dos Santos Neto. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.