Política

Com posse de Sandra Marrocos, ‘trio de saia’ deve roubar a cena na Câmara de João Pessoa

Com histórico de bate-boca, bancada feminina é formada ainda por Eliza Virgínia e Raíssa Lacerda.



Arquivo
Arquivo

Com a posse da vereadora Sandra Marrocos (PSB) na Câmara Municipal de João Pessoa, nesta terça-feira (5), a bancada feminina passa a ter três membros. A Casa, além da socialista, conta também com as vereadores Eliza Virgínia (PSDB) e Raíssa Lacerda (PSD). O ‘trio de saias’, apesar da unidade de gênero, deve promover grandes embates devido às orientações político-partidárias e, principalmente, pessoais. 

Com histórico de ativismo em causas sociais, Sandra Marrocos deve incomodar a vereadora Eliza Virgínia, que tem sustentação política e ideológica no movimento evangélico. Enquanto a socialista defende causas como o feminismo, legalização do aborto, igualdade de gênero, liberação da maconha, a tucana prega conceitos tradicionais de família. Na posse nesta terça-feira, Sandra garantiu que não evitar polêmica, mas que "vai defender seus posicionamentos com unhas e dentes". 

Na legislatura passada as duas vereadoras protagonizaram muitas cenas de bate-boca no parlamento da capital. À época, Eliza Virgínia afirmou que as feministas são mal-amadas e não gostam de homens, o que foi classificado por Marrocos como a fala de um tipo de pessoa que "é fundamentalista e caçadora de direitos”. 
 
Nem bem a rival assumiu a Câmara, Virgínia já tem demonstrado incômodo com o retorno da socialista, apesar de garantir que vai recebê-la com diplomacia, no retorno aos trabalhos, no próximo dia 30 de julho, com a ‘bandeira da paz’.  
 
Trazida à Câmara Municipal para reforçar a bancada do PSB nas críticas ao prefeito Luciano Cartaxo (PSD), Sandra Marrocos também deve provocar grandes discussões com a vereadora Raíssa Lacerda, fiel escudeira do correligionário. As duas também se estranharam por diversas vezes na legislatura passada, sobretudo após o rompimento do governador Ricardo Coutinho com  o ex-prefeito Luciano Agra, a quem Raíssa defendia na Casa. 
 
Embora sejam da mesma bancada, Eliza Virgínia e Raíssa Lacerda também vivem em pé de guerra no plenário da Câmara. Boa parte das brigas é devido à ideologia radical da vereadora evangélica. Mas recentemente, as duas colegas se desentenderam devido a um pedido de vista de Virgínia a um projeto do vereador Marmuthe Cavalcanti, que previa um percentual 5% de táxi com acessibilidade na capital. Raíssa tentou demover a tucana da ideia para que a matéria não fosse votada antes do recesso. Depois da conversa Eliza acabou cedendo a proposta foi aprovada. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.