Política

Cartaxo deve perder pelo menos 11 auxiliares até o fim de janeiro

Prefeito orientou comissionados interessados em disputar eleições a antecipar exoneração.




Luciano Cartaxo

Com a decisão do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), em antecipar a ‘dança das cadeiras’ devido ao processo eleitoral, pelo menos 11 auxiliares podem se afastar da administração municipal até o próximo dia 31 de janeiro. Na lista constam vereadores eleitos e não eleitos, mas absolvidos na gestão, bem como um time de escudeiros fiéis que o pré-candidato ao governo espera contar reforçando a bancada na Assembleia Legislativa a partir de 2019.

A exoneração de comissionados interessados em disputar um cargo eletivo este ano deverá provocar, primeiramente, mudanças na composição da Câmara Municipal de João Pessoa. O secretário do Procon-JP, Helton Renê (PCdoB), e de Ciência e Tecnologia, Durval Ferreira (PP), devem se afastar do executivo municipal para tentar uma vaga na Assembleia Legislativa. Com a mudança, deixam a Casa, respectivamente, os suplentes Carlão da Consolação (PSDC) e Helena Holanda (PP).

Ex-vereadores de João Pessoa e aproveitados na gestão após não obterem vitória nas Eleições 2016, Benilton Lucena (PSD), que atualmente está na Ouvidoria do município, e Bira Pereira (PSD), que é secretário de Transparência Pública, devem se afastar para disputar para deputado estadual. Outro ex-vereador, Geraldo Amorim (PMN), que é secretário de Segurança Urbana e Cidadania e policial federal de carreira, deverá tentar uma vaga na Câmara Federal.

Ficando na suplência na Assembleia Legislativa em 2014, a secretário do Trabalho, Emprego e Renda de João Pessoa, Olenka Maranhão (MDB), também compõe a lista dos comissionados que devem ser exonerados até o fim do mês.

Bancada fiel

Na lista, a candidatura mais consolidada para o cargo de deputado estadual é a do titular da Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) da capital, Carlos Batinga, que já ocupou uma cadeira na Assembleia Legislativa entre 2007 a 2015.

Auxiliares do prefeito revelaram que Cartaxo tentará criar a maior bancada aliada possível para ter um time fiel numa eventual eleição para o governo. Neste propósito, quem também pode deixar a administração, não necessariamente agora, são os secretários de articulação, Zennedy Bezerra (PMN), e da saúde, Adalberto Fulgêncio (PSD).

Lideranças de partidos fiéis ao projeto de Cartaxo, completam a lista de auxiliares que estarão de fora da gestão a partir de fevereiro, entre eles a secretária de Políticas Públicas para as Mulheres , Lídia Moura (PMN), e o secretário de Esporte, Jutahy Menezes (PRB), que tentarão uma vaga na Assembleia Legislativa.

Exonerações

Cartaxo anunciou neste domingo (21) que vai estabelecer o prazo de 31 de janeiro para a desincompatibilização de secretários e demais ocupantes de cargos comissionados que desejam se candidatar e disputar as eleições deste ano. A decisão, segundo ele, se impõe em razão do foco no cumprimento das metas traçadas para 2018, dando sequência ao plano de trabalho da gestão.

Nenhum setor, programa ou ação do município, na concepção de Luciano, podem sofrer solução de continuidade por causa da campanha eleitoral. “A recomendação vem no sentido de preservar o ritmo de trabalho, com metas pactuadas que vão além das eleições, trazendo ainda mais resultados para a cidade”, pontuou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.