Política

Bolsonaro defende porte de arma para todos e fuzil contra o MST

Deputado quer fim de estado laico e mudança na “raça de Brasília”. 



Josusmar Barbosa
Josusmar Barbosa
Deputado Jair Bolsonaro é recebido por multidão o Aeroporto João Suassuna, em Campina Grande

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) defendeu nesta quarta-feira (8), em Campina Grande, a liberação de porte de arma para todos os brasileiros e a doação de fuzis pelo Governo Federal para que os produtores rurais possam enfrentar “marginais do MST” que invadem terras. Pré-candidato à Presidência da República, o parlamentar foi recebido à tarde por uma multidão, no Aeroporto João Suassuna, que entoava: “um, dois, três, quatro, cinco mil, queremos Bolsonaro presidente do Brasil”.

“Nós confiamos na Polícia Militar, mas daremos porte de arma para todo homem de bem deste país. Nós temos que ter o povo armado para que possa se defender a sua democracia e a sua liberdade”, defendeu Bolsonaro em discurso como presidenciável, no estacionamento do aeroporto, em cima de um carro .

Depois, ele criticou duramente as invasões do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra. Para “os marginais do MST que param o agronegócio, vamos dar fuzil para o produtor rural porque cartão de visita para invasor é o rifle 762”, detonou o deputado.

Raça de Brasília

Ainda no pronunciamento, Bolsonaro disse que o Nordeste é a região mais desprezada do país e defendeu uma mudança na política e na economia brasileira para acabar a desigualdade regional. Ele prometeu valorizar a meritocracia em detrimento do populismo praticado no Poder Executivo e no Congresso Nacional.

“Estamos aqui porque acreditamos no futuro dessa nação. Estamos prontos para formar uma grande nação e mudar aquela raça que está comigo lá em Brasília”, ressaltou Bolsonaro, acrescentando que “já vão se acostumando com um Brasil diferente no Planalto”.

Sem estado laico

O deputado ainda pregou o fim no Brasil do estado laico, posição neutra no campo religioso. Como a maioria dos brasileiros é cristã, Jair Bolsonaro quer a adoção das religiões ligadas ao cristianismo como oficiais do país.

“Deus acima de tudo. Não tem essa historinha de estado laico não. O estado é cristão e a minoria que for contra, que se mude.  As minorias têm que se curvar para as maiorias”, destacou.

Palestra

Jairo Bolsonaro profere palestra nesta quarta-feira, às 19h30, no auditório do Garden Hotel. Amanhã, ele estará no Forte de Cabedelo, onde também vai proferir palestra.