Política

Assembleia da PB extingue mais de 500 cargos em reforma administrativa

Medida foi apresentada pela Mesa Diretora e aprovada pelos deputados.




Foto: Divulgação/ALPB

A Assembleia Legislativa da Paraíba extinguiu 544 cargos da estrutura da Casa através de uma lei que mudou a estrutura administrativa da Casa. A iniciativa, aprovada pelos deputados em setembro, foi publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (9), após sanção do governador João Azevêdo (PSB).

O projeto tinha sido apresentado pelo presidente Assembleia, deputado Adriano Galdino (PSB), em agosto. De acordo com ele, o objetivo da reforma administrativa é ajustar a composição dos gabinetes, com o reordenamento no quadro de pessoal.

Cargos extintos são de chefe de gabinete, assessores especiais, assessores técnicos, secretários particulares e assessores gerenciais.

Segundo Galdino, o novo modelo administrativo segue os preceitos da gestão da Câmara Federal, que é aprovada pelo Ministério Público, Federal, Procuradoria Geral da República, Justiça Federal e Advocacia Geral da União, os órgãos controladores. O presidente não divulgou qual seria o valor da economia com a extinção desses cargos.

A lei também altera os nomes dos cargos de assistente operacional, que passam a ser assessor operacional. E limita a quantidade desses servidores nas unidades administrativas, comissões e frentes parlamentares.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.