Política

Álvaro Dias defende justiça “arrochada” para colocar político ladrão na cadeia

Para presidenciável, eleitor quer candidato com experiência administrativa e passado limpo.




Álvaro Dias concedeu entrevista no Aeroporto João Suassuna, em Campina Grande, onde participa de debate na Associação Comercial

O senador Álvaro Dias (PODE-PR), pré-candidato à Presidência, disse nesta quarta-feira (2), em Campina Grande, que a Operação Lava Jato mudou o Brasil, ao colocar na cadeia políticos corruptos, empresários e servidores públicos. Todavia, é preciso aprofundar o combate à corrupção e mostrar que a política não é espaço para enriquecimento. Para isso, a Justiça tem que ser “arrochada”.

“Nós precisamos convencer os brasileiros de que quem pretende enriquecer não deve conviver com a política. Quem quiser enriquecer com a política vai para a cadeia. É o que está acontecendo agora. Queremos uma Justiça arrochada que coloque na cadeia o ladrão do dinheiro público, que desestimule a corrupção porque o exemplo é que produz o resultado. Se nós formos frouxos, estaremos estimulando à corrupção”, afirmou Álvaro Dias.

O senador enfatizou que o Brasil sempre foi um paraíso da impunidade, mas começa a inaugurar uma nova Justiça onde todos são iguais perante à lei. “Para que isso ocorra verdadeiramente, nós precisamos acabar com o foro privilegiado, que é um projeto de minha autoria e foi aprovado em maio do ano passado no Senado. Está aguardando a votação na Câmara. Se o fim do foro já fosse aprovado pelo Congresso, muitos dos candidatos não seriam candidatos pois estariam inelegíveis”, frisou.

Para Álvaro Dias, as pesquisas mostram que o eleitor brasileiro vai exigir dos candidatos às eleições deste ano experiência administrativa e passado limpo. “Aqueles que têm problemas com a Operação Lava Jato, foram denunciados ou indiciados terão dificuldade de convencer o eleitor que merece o voto”, previu os senador paranaense, em entrevista no Aeroporto João Suassuna ao lado do presidente estadual do Podemos, vereador Galego do Leite.

Refundação da República

O pré-candidato à Presidência defendeu um programa de governo para “refundar a República” em apenas 100 dias. Para o senador paranaense, “refundar a República” é reduzir profundamente o tamanho do Estado, cortar ministérios, cargos comissionados, privatizar quase todas as estatais. E também tesourar privilégios de juízes e diminuir o tamanho do Senado em um terço e o da Câmara pouco mais do que isso. E também diminuir o número de partidos.

Ainda destacou Álvaro Dias a necessidade de aprovação de uma reforma tributária baseada num “imposto quase único”, uma espécie de CPMF sobre movimentações financeiras, que permita que sobre mais dinheiro no bolso da população de menor renda. Em relação ao Nordeste, ele pregou a mudança da matriz energética, trocando a madeira e o carvão pelo gás natural. Também

Álvaro participa nesta quarta, à noite, da primeira edição do ciclo de palestras com presidenciáveis na Associação Comercial e Empresarial de Campina Grande. Na quinta-feira (3), em João Pessoa, ele estará no café da manhã com membros do Podemos, do estado, que deverão candidatos este ano. Depois, Álvaro integra um debate na Câmara de Vereadores da capital, finalizando a agenda na Paraíba.