Policial

Seis são presos por pistolagem

Polícia Civil de Monteiro desarticulou um grupo responsável por pelo  menos quatro homicídios; um vereador e um empresário fazem parte do esquema. 




Depois de 6 meses de investigação a Polícia Civil da cidade de Monteiro acredita ter desarticulado um grupo responsável pela prática de pelo menos quatro assassinatos, no Cariri paraibano.

Seis pessoas foram presas acusadas de envolvimento no ‘esquema’, entre elas um vereador da cidade de Camalaú, um empresário e um prestador de serviços da Polícia Civil. Uma das mortes teria sido encomendada por R$ 20 mil.

Durante a ação foram apreendidas 12 armas, sendo 6 espingardas de grosso calibre, dois rifles e quatro revólveres.

As prisões começaram a ser realizadas na última terça-feira, em uma comunidade conhecida como ‘Aldeia Velha’, no município de Arcoverde, em Pernambuco. Foram presos Antônio Fernando Pereira da Silva e Fábio Damião Pereira da Silva, que moravam na comunidade e atuariam como pistoleiros. O nome da aldeia deu origem ao nome da ação policial, batizada de ‘Aldeia Velha’.

No Cariri paraibano a Polícia Civil interceptou um carro pertencente ao empresário Sebastião de Freitas Neto, próximo à cidade de Serra Branca. Ele foi preso, juntamente com o vereador de Camalaú Adelmo Teobaldo Farias. Segundo a polícia, o empresário confessou o crime e afirmou no depoimento que pagou a quantia de R$ 20 mil para o vereador Adelmo Farias intermediar a contratação dos pistoleiros que executaram um homem identificado apenas por “Chuta”, na cidade de Camalaú.

Para concluir o plano, o parlamentar teria contactado Francisco Belmiro de Paiva, também preso na operação. Ele teria emprestado a arma do crime, um revólver calibre 38 e contratado os dois pistoleiros.

“Durante o interrogatório do vereador, ele confessou o crime do duplo homicídio, além de mais um ocorrido na cidade de Monteiro, no ano passado, que teve como vítima uma pessoa conhecida como ‘Cidinho’”, relatou o delegado regional de Monteiro, Danilo Borba Orengo.

As mortes seriam uma vingança, já que o irmão do vereador teria sido morto recentemente. Ainda foi preso Maurício Januário da Silva, que seria prestador de serviços na delegacia de Camalaú.

De acordo com a polícia, ele teria a função de repassar informações privilegiadas à quadrilha. “O servidor foi preso na delegacia de polícia, por cumprimento de mandado de prisão preventiva e teve apreendida em sua residência uma arma de fogo, sendo também autuado em flagrante por receptação e posse de arma de fogo”, acrescentou Danilo Borba.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.