Policial

PF prende assaltante de Correios mais procurado da Paraíba

Investigação levou policiais a Natal, onde Carlito Leonardo foi preso sem reagir. Ele é acusado de dezenas de assaltos, de três homicícios e já fugiu de três presídios.




Maurício Melo

Carlito Claudiano Leonardo, tido como o assaltante de bancos e agências dos Correios mais procurado da Paraíba, foi preso na noite desta quinta-feira (15), por volta das 20h30, no bairro da Redinha, na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, por policiais federais locais e de Campina Grande. Várias cidades no interior paraibano estavam sitiadas com medo de sua quadrilha.

O preso é acusado de dezenas de assaltos no interior da Paraíba, sempre marcados por muita violência, e de pelo menos três assassinatos. Entre eles o da dona-de-casa Iraci da Costa, de 48 anos, no município de Cubati. Ela era a mãe do atual namorado da ex-mulher de Carlito e morreu depois de dizer ao seu algoz não saber onde seu filho estava. Ele também é suspeito de ter matado um policial militar depois de um assalto a uma agência dos Correios no município de São Vicente do Seridó. 

Claudiano já esteve preso em três presídios da Paraíba e já escapou dos três. No primeiro, quando foi preso por ter matado um homem numa briga de bar, ele progrediu na pena e passou a ter direito à prisão semi-aberta. Na primeira saída do presídio, não voltou mais e passou a ser foragido. Na segunda prisão, ele fugiu por um buraco na parede do presídio Monte Santo e, na terceira vez em que esteve preso, escapou com outros 30 presos por um buraco no muro do presídio do Serrotão, em Campina Grande, em 26 de abril de 2008.

A quadrilha de Carlito já esteve outras vezes na mira da Polícia Federal, como quando a PF fez um cerco num terreno ao lado do campus I da Universidade Federal de Campina Grande, há cerca de dois anos, e foi confundida com bandidos por vigilantes da instituição. Uma troca de tiros que se seguiu na ocasião permitiu que os suspeitos fugissem e acabou com vigilantes feridos e um morto. Depois ficou esclarecido que os vigilantes não deveriam nem poderiam ter interferido na situação, que também contou com a ação da PM.

A Polícia Federal começou a investigar o grupo logo que eles passaram a assaltar agências dos Correios. A busca levou os policiais até Natal, que foram até o local onde o acusado estava morando. Carlito foi preso quando chegava em casa junto com um amigo de moto. Ele foi rendido e recebeu voz de prisão sem reagir. Após passar a noite na delegacia da PF em Natal, deve seguir para Campina Grande, onde será deixado à disposição da Justiça em algum dos presídios.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.