Policial

Filho de secretário de Segurança é detido pela Polícia Militar

Ele foi detido após denúncia de que duas pessoas estavam fumando maconha no Cabo Branco.



Walter Paparazzo
Walter Paparazzo

Um adolescente de 17 anos, identificado como o filho do secretário de Segurança Público da Paraíba, Cláudio Lima, foi detido sob a suspeita de estar consumindo maconha em uma avenida no bairro do Cabo Branco, em João Pessoa, na manhã desta segunda-feira (10). A Polícia Militar informou que além do filho do secretário, outro adolescente, de 15 anos, estavam com cigarros de maconha e um triturador da droga. Os dois adolescentes foram encaminhados para a Delegacia de Infância e da Juventude, onde a delegada, Juvanira Holanda Linhares, negou que tenha sido encontrada qualquer droga com eles.

De acordo com a PM, o Centro Integrado de Operações Policiais foi informado de que dois adolescentes estavam consumindo a droga na Avenida Paulino Pinto, no final da manhã. O policial militar, que participou da ação e não quis se identificar, confirmou que os jovens também desacataram os policiais no momento da abordagem.

A secretaria de Segurança Pública enviou uma nota em que a delegada da Infância e da Juventude, Juvanira Holanda Linhares, responsável pela apuração da apreensão dos adolescentes, confirmou que um deles é filho do secretário de Estado da Segurança e Defesa Social, Cláudio Lima. Já por telefone, a delegada disse que nenhuma droga foi encontrada com os adolescentes e eles foram detidos porque no momento da abordagem policial ficaram nervosos e não souberam explicar de quem era o triturador que estava, segundo a delegada, atrás e não com os suspeitos.

"Quando os policiais fizeram a abordagem dos meninos, nenhuma droga estava em posse deles. O triturador foi encontrado atrás e nenhuma droga estava nem com eles, nem no triturador", garantiu a delegada.

A secretaria informou ainda que estão sendo tomadas todas as medidas legais cabíveis ao fato. Até as 13h30 (horário local) o secretário ainda não havia se pronunciado sobre o evento.

Os adolescentes são ouvidos ao lado dos responsáveis, pelo fato de eles serem menores de idade. A tendência é que os dois sejam liberados após ser firmado um termo circunstanciado de ocorrência.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.