Policial

Esquema de falsificação de documentos é desarticulado na região metropolitana de CG

De acordo com a Polícia Civil, vários atestados médicos e documentos hospitalares com carimbos e rubricas falsas foram apreendidos.




Vários documentos escolares, como certificados e declarações, além de atestados médicos com assinaturas falsas, foram apreendidos. / Foto: Divulgação Polícia Civil

Um esquema de falsificação de documentos foi desarticulado na cidade de Queimadas, região metropolitana de Campina Grande, tarde desta quinta-feira (05). Na ocasião, foram cumpridos três mandados de busca e foram apreendidos diversos atestados médicos e certificados escolares suspeitos de adulteração, além de notebooks e lista com nome dos supostos beneficiados.

Conforme a Polícia Civil, a direção da cadeia pública de Queimadas desconfiou da procedência de alguns atestados médicos apresentados por alguns presos para justificar a falta de albergados na unidade prisional. Após as suspeitas, a polícia procurou o hospital local para conferir os atestados, e ao chegar no local, a suspeita de que os documentos eram falsos foi confirmada, já que os médicos que supostamente assinaram os atestados não trabalhavam no hospital do período descrito nos documentos.

Ainda de acordo com a polícia, os atestados médicos apreendidos estavam em branco, apenas com carimbo e rubrica dos supostos médicos, e nos certificados, papéis timbrados e outros documentos escolares, havia o registro carimbado comprovando o teor das então declaração.

No notebook de um dos alvos, foram encontrados, ainda, arquivos que simulam carimbos de médico e diretores de escolas localizadas nos municípios de Queimadas e Fagundes. Além das assinaturas dos profissionais, o notebook possuía arquivos que seriam as bases gráficas para montagem de outros documentos falsos, como RH e Carteira Nacional de Habilitação (CNH). 

Os alvos da operação não foram presos, mas a possibilidade de detenção dos suspeitos não foi descartada, já que estes devem prestar maiores esclarecimentos no decorrer das investigações.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.