Policial

Bandidos invadem escola pela décima vez em um ano em Campina Grande

Nesta terça-feira (1º), bandidos voltaram a invadir, levando computadores, instrumentos musicais e eletroeletrônicos.




Pela décima vez em menos de um ano os professores e alunos da escola municipal  Lúcia de Fátima Gaioso, localizada no bairro do Alto Branco, em Campina Grande encontraram a instituição arrombada e revirada ao chegarem para o que seria mais um dia de aula. Nesta terça-feira (1º), bandidos voltaram a invadir a escola e fizeram um verdadeiro arrastão, levando computadores, instrumentos musicais, eletroeletrônicos e até materiais escolares. Para trás os bandidos deixaram objetos reviradores pelos corredores da escola e a tristeza dos professores e recomeçar tudo novamente. 

Segundo o vigilantes da escola, de 52 anos, que não quis se identificar, o furto foi percebido por volta das 6h, quando ele chegou para o trabalho e encontrou o portão principal arrombado. “Sempre sou o primeiro a chegar e já estou me acostumando a encontrar encontro a escola nessa situação. Venho trabalhar e encontro tudo revirado”, desabafou o funcionário que trabalha na escola há 12 anos. O último ocorreu em outubro, onde arrombaram as salas, mas não levaram nada.
 
De acordo com um levantamento feito pela diretora da escola, Shênia Brasileiro, pelo menos cinco salas de aula foram arrombadas, de onde foram levados cinco computadores, dois violões, flautas, dois violões, dois teclados, micro sisten, cortador de grama, gela água, e até garrafa térmica, kit de primeiro socorros e lápis. Os instrumentos musicais eram de um projeto que levava música para os alunos da escola. “Saímos ontem deixando tudo organizado e hoje tivemos essa surpresa”, disse ela. 
 
O sentimento da direção é de impotência, mas apesar de está passando por mais um caso, os professores garantem que não desistirão e seguirão com as aulas, com o que sobrou. “Ficamos decepcionados e desanimados, mas vamos recomeçar tudo de novo. Amanhã é um novo dia e os professores darão aula, mesmo sem os materiais. É triste, mas precisamos por um sorriso no rosto e seguir, pois estas crianças precisam da gente”, desabafou a diretora, emocionada. A escola municipal Lúcia de Fátima Gaioso, possui cerca de 160 alunos matriculados em turmas do primário ao ensino fundamental I. 
 
Segurança 
 
Ainda de acordo com a direção da escola, até o final do ano passado a instituição era equipada com sistema de segurança particular e sempre que havia uma invasão, a empresa responsável ia ao local, mas em outubro tudo foi retirado. De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Educação do Município, os equipamentos de segurança foram retirados pois o contrato com a empresa responsável acabou. Um novo contrato está sendo feito, mas passa por fase de licitação. 
 
O Centro Integrado de Operações da Polícia Militar (Ciop), disse que não recebeu nenhum chamado sobre o arrombamento da escola. Até às 12h da tarde desta terça-feira (1º) a Polícia Civil também não havia recebido o registro de nenhum ocorrência sobre o arrombamento. 
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.