Mundo

Tribunal da China condena à morte envolvidos em contaminação de leite

Seis crianças morreram em 2008 por tomar leite contaminado. Leite misturado com melamina, substância tóxica, era vendido.




Do G1

Um tribunal da China condenou à morte, em Shijiazhuang, nesta quinta-feira (22) dois homens acusados de envolvimento no escândalo de leite contaminado, que causou a morte de ao menos seis crianças e adoeceu cerca de 300 mil pessoas no ano passado.

Vinte e duas pessoas são acusadas de participar da fabricação e venda do leite contaminado. Investigações revelaram que o leite era misturado com melamina, uma substância usada em fertilizantes que pode causar a falência dos rins se consumida em quantidade excessiva.

Tian Wenhua, ex-diretora da Sanlu, principal empresa produtora envolvida no caso, foi condenada à prisão perpétua, imformou a agência de notícias Nova China.

Tian, de 66 anos, é a maior autoridade julgada por este escândalo no tribunal de Shijiazhuang, na província de Hebei (norte do país), onde fica a sede Sanlu. Ela foi acusada de ter produzido e vendido produtos "falsos e de qualidade inferior", crime passível de prisão perpétua, mas não da pena de morte.

O tribunal condenou, no entanto, à pena capital três homens, um deles com suspensão da aplicação da sentença, pelo envolvimento no escândalo.

Um dos condenados a morte é Zhang Yujun, que produziu e comercializou 600 toneladas de leite adulterado. Ele foi considerado culpado de ter colocado em perigo a segurança pública.

O tribunal também condenou à prisão perpétua um quinto acusado, Zhang Yanzhang, que comprou o produto de Zhang Yujun e revendeu 230 toneladas.

Os veredictos são os primeiros anunciados do total de 21 acusados.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.