Mundo

Militares usam força contra manifestação pró-Zelaya

Militares e a tropa de choque da Polícia de Honduras reprimiram com violência, um protesto de apoiadores de Manuel Zelaya e interromperam uma das principais ruas da capital.




Da Agência Brasil

Os militares e a tropa de choque da Polícia de Honduras reprimiram, hoje (30), com violência, um protesto de apoiadores de Manuel Zelaya e interromperam parcialmente uma das principais ruas da capital. Foi a primeira ação violenta desde o anúncio do decreto que deixou o país em estado de sítio por 45 dias.

Os manifestantes protestavam em frente ao prédio da Rádio Globo, a única que apoiava o presidente deposto e que saiu do ar na madrugada de segunda-feira (28), por determinação do governo golpista.

A tropa de choque usou bombas de gás e cacetetes para reprimir os manifestantes. A ação ocorreu quando eles já estavam se desmobilizando, partindo rumo a uma das ruas de acesso.

Pela manhã, o prédio do Instituto Nacional Agrário, onde cerca de 120 manifestantes apoiadores de Zelaya estavam acampados há três meses, foi desocupado pelos militares. Não houve confronto nessa ação.

Neste momento, o presidente Roberto Micheletti está reunido com representantes da Suprema Corte para discutir o decreto que instituiu o estado de sítio. O Congresso, a Justiça Eleitoral e até mesmo a imprensa favorável à Micheletti criticaram a restrição dos direitos constitucionais no país.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.