Mundo

Mais de 300 pessoas morrem em presídio

O porta-voz do Corpo de Bombeiros de Comayagua, Josué Garcia, disse ter visto cenas "chocantes" ao tentar combater as chamas.




Mais de 300 pessoas morreram após o incêndio em uma prisão na cidade de Comayagua, cerca de 75 quilômetros da capital de Honduras, Tegucigalpa, ontem. Lucy Marder, chefe do serviço de medicina forense de Comayagua, informou que ao menos 357 morreram devido ao fogo no local, que abrigava cerca de 800 presos. Segundo ela, a identificação das vítimas deve levar ao menos três meses, já que testes de DNA serão necessários devido à dilaceração dos corpos.

O fogo atingiu a Colônia Penal Agrícola de Comayagua e começou por volta das 2h55 (horário de Brasília). O porta-voz do Corpo de Bombeiros de Comayagua, Josué Garcia, disse ter visto cenas "chocantes" ao tentar combater as chamas.

Segundo ele, ao menos 100 prisioneiros queimaram até a morte ou morreram sufocados pela fumaça. "Não conseguíamos soltá-los porque não tínhamos as chaves, e não conseguíamos achar os carcereiros", contou Garcia.

Alguns presos que conseguiram escapar do fogo quebraram o telhado e se jogaram do alto do prédio. Há ainda registros de fugas.

CAUSA
O porta-voz do Ministério da Segurança, Hector Ivan Mejia, disse a imprensa que, segundo informações preliminares, um curto circuito teria sido a causa do incêndio em um dos dois módulos da prisão. Mas autoridades investigam se o fogo teve início devido a uma rebelião de presos ou a um curto-circuito.

Nos hospitais de Comayagua dezenas de queimados e feridos foram atendidos. Em julho de 2010, o presidente Porfírio Lobo declarou estado de emergência em nove das 24 prisões de Honduras. O então ministro da Segurança qualificou os locais de "universidades do crime".

A superlotação de prisões é recorrente no país, com 13 mil presos para a capacidade de 8.000, diz a organização Human Rights Watch. "Honduras tem de rever urgentemente o sistema carcerário para encerrar a superlotação", comunica a entidade. Honduras tem uma das maiores taxas de homicídio no mundo.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.