Moda

Looks do chic ao casual fazem a cabeça das mulheres sem pesar no bolso

Comprar roupas em lojas de departamento é opção para quem quer economizar sem deixar de andar na moda.   



Divulgação
Divulgação

Achar um vestido de festa ou um look mais incrementado nas fast fashions ou lojas de departamento também é possível. Além das produções básicas, do dia a dia, encontra-se também peças em tecidos finos, com brilhos e com detalhes diferenciados. Ficar na moda sem gastar muito é uma ideia que agrada as mulheres. Engana-se quem pensa que para ter estilo é preciso procurar por roupas e acessórios a preços altíssimos. Comprar roupas em lojas de departamento é uma opção para quem quer economizar. Mas para sair de lá com peças que realmente valem a pena, é preciso saber escolher. 
 
 
Antes de comprar qualquer peça, a principal dica é analisar a qualidade dos tecidos,acabamento, caimento e custo benefício da roupa. O bom gosto também pode ajudar a ‘garimpar’ aquela peça coringa tão desejada. Para a consultora de moda, Jemima Carneiro, cada vez mais as roupas de festas e outras ocasiões que pedem um look mais requintado têm sido exploradas nesses estabelecimentos. “Destacam-se tecidos mais fluidos, como cetim misturados à sarjas, para quebrar mais a formalidade, jeans mais sóbrio, blazers em alfaiataria e kimonos”, revelou.
 
No caso das roupas de festas, vestidos, saias com brilho e em tecidos finos podem ser garimpados. É possível encontrar em lojas populares, e até nas lojas com páginas na internet, vestidos com bom caimento e detalhes diferenciados. O importante é saber exatamente o tipo de evento, para não errar na escolha, e conhecer bem seu corpo.  O que vai dar a nota final no look não é só uma peça, mas o conjunto.
 
É bom lembrar de algumas dicas antes de ir às lojas de departamento. A imensidão de opções pode confundir e a escolha final pode desagradar a consumidora. 
Outro ponto a observar é o período de realização do evento. Se a ocasião for um casamento, é interessante observar o horário. Para festas noturnas prefira  peças com tecidos sofisticados e brilho. Já se o evento for diurno, a dica é usar tecidos mais leves, sem brilho e até estampados. Outro ponto importante é o corte e comprimento do modelo. Para casamentos com traje social completo, evite os vestidos curtos. Se o casamento for mais moderno, casual, com clima de balada, as saias podem subir, mas sem exageros. Cuidado com a sensualidade e evite peças muito justas. Se optar pela fenda, evite o decote e vice-versa
 
Além disso, as fast fashions  estão realizando parcerias com estilistas, como a C&A e Riachuelo, que trazem peças exclusivas, com mais requinte na modelagem, vendida a preço acessível. “Para compor o visual, opte por uma bijoux requintada (com bons acabamentos e banho), capriche no sapato e na make”, aconselhou a especialista em moda.
 
Tendência ‘Hi-Lo’ ajuda na produção do visual 
 
Os precinhos camaradas e as variedades das lojas de departamento são uma verdadeira tentação. No entanto, leve só o que realmente vai usar. Dê preferência para as peças mais básicas e fáceis de combinar, nada muito diferente do que você está acostumada a vestir e evite comprar roupas com estampas muito marcantes. Geralmente elas são produzidas em grande quantidade e aí, é só dar uma voltinha pelas ruas para ver várias pessoas com o look parecido. 
 
Uma dica para usar as peças das lojas de departamento sem errar é compor o visual seguindo a tendência ‘Hi-Lo, mesclar peças de grife com outras mais acessíveis.
 
Outra sugestão da consultora Jemima Carneiro é a escolha da cor. As cores que caem bem a noite são tons frios como beterraba, vinho, azul-marinho e café. Os tons pastéis são permitidos, mas pedem make mais forte e acessórios brilhantes. Na hora de comprar nas fast fashions, uma boa dica é apostar em tons neutros como o preto, vermelho escuro, bege ou prata. Eles servem para várias ocasiões e ficam bem na maioria das pessoas. 
 
A consultora lembra ainda que o look trabalho também têm ganho espaço nas vitrines das lojas de departamento. “ A moda trabalho tem se reinventado todos os dias, até por conta do clima quente, como é o nosso caso, e nesse tipo de loja são muitas as opções”, recorda Jemima Carneiro.
 
Atenção à qualidade dos tecidos 
 
Looks para todas as ocasiões é o que não faltam na maioria das lojas de departamentos. Produções mais despojadas compostas por shorts, saias, jaquetas, camisetas, t-shirts estão entre as peças mais procuradas. Os setores de malhas, biquínis e roupas para ginástica também podem ser garimpados. Além do preço mais em conta, outra vantagem é que também não é difícil encontrar peças de boa qualidade nessas lojas.
 
A qualidade do tecido, modelagem e estamparia devem ser as primeiras coisas observadas, porque não adianta a roupa ser incrível se a durabilidade não for. “Mesmo nessas lojas encontramos roupas um pouco mais “caras” mas que no final das contas sempre será um melhor negócio do que as que estão em promoção, ou até mais baratas mesmo. Você quase sempre acha um jeans bacana, um colete
descolado, até mesmo tricôs por precinho e qualidade legais”, garantiu Jemima Carneiro, produtora de moda.
 
As roupas de banho e academia são estilos bastante encontrados nessas lojas. Uma dúvida, é quanto ao tipo de malha. Geralmente, as malhas encontradas em lojas de departamento são mais ‘fracas’. As estampas dos biquínis também são comuns e quando se vai à praia, muitas pessoas estão iguais. Mas, se o jeito é comprar lá, a produtora de imagem pontua algumas dicas.
 
“Uma das melhores coisas que inventaram foi essa venda de parte de cima e parte de baixo de biquínis separados. Isso nos dá muito mais criatividade na hora de fazer um look praia sem sair feito ‘par de jarro’ por aí. A saída de praia ou até mesmo pra quem prefere shortinhos jeans fazem toda a diferença. Já em relação as roupas de academia, sempre atentas na qualidade da malha. Como é uma roupa que a gente vai precisar lavar mais, ela precisa ser resistente”, alertou Jemima Carneiro.
 
Os acessórios e bijouterias também podem ser encontradas nas fast fashions. “A ideia é Investir mais pela qualidade, com tanto que a durabilidade da peça seja maior mais, você pode observar o preço de um anel por exemplo de baixa qualidade R$29,90 em média, e um com banho melhor fica na faixa de R$50”, concluiu. 
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.