Moda

Homens aderem à moda dos cortes de cabelo modernos e ousados

Os trends do momento são os cortes rockabilly, indie, moicano, topknot, undercut, ondulado e o vintage.



Kleide Teixeira
Kleide Teixeira
Modelos como o 'undercut', que remete ao estilo punk da década de 80, está entre os top trends dos cortes e penteados masculinos

Undercut, militar, rockabilly, vintage e outras tendências de corte estão fazendo a cabeça do universo masculino. O tradicional corte máquina zero e o ‘velho’ cabelo desgrenhado perderam espaço, deixando o caminho livre para cortes e penteados modernos, práticos e mais ousados. A forma de cortar o cabelo ou pentear varia de acordo com o estilo do homem, do cabelo, e ocasiões. Os trends do momento são os cortes rockabilly, indie, moicano, topknot, undercut, ondulado e o vintage.

A mudança está presente em muitas gerações, não só no estilo contemporâneo dos homens mais jovens. Esse é o caso de Luis Carlos, 39 anos, que já passou por diversas transformações, desde que começou a acompanhar as tendências da moda masculina. “Sempre corto de uma forma diferente e acho muito importante manter essa preocupação com o estilo e a aparência. É um diferencial para quem deseja ocupar um espaço no mercado de trabalho e manter-se sempre atualizado”, destacou.

Alan Araújo, 22 anos, não esconde a preocupação em sempre mudar a cor, o corte e o penteado dos cabelos. A mudança de cor é muito presente no cotidiano e os cortes sempre acompanham as tendências masculinas. “Já mudei muito a cor do cabelo, tive os cabelos na cor azul, lilás, laranja, rosa. Atualmente, meu cabelo está norte undercut, mas mudo muito sempre seguindo as tendências e inovando”, destacou. O pequeno Samir Ramos, 7 anos, é aprova de que a vaidade e os cuidados com os cabelos não têm idade. “Mudo com bastante frequência e acho muito importante estar sempre em dia e antenado com a moda”, frisou.

O rockabilly masculino recebe influência dos anos 50 e pode ser visto nos homens modernos que gostam de inovar no estilo. Na frente um topete volumoso e bem penteado. Ideal para quem tem cabelo liso ou levemente ondulado. Um fixador será necessário para ajudar a firmar e manter o topete. Para quem gosta de franja, o indie é uma ótima opção de corte. O cabelo mais comprido pode ser modernizado com a franja caída no rosto, em alusão ao estilo despojado e versátil. Para manter a franja, o auxílio do texturizador é uma dica.

O undercut remete ao estilo ‘punk’ da década de 80. Laterais raspadas e topete estruturado, com volume no topo da cabeça. A franja longa vira um belo topete que pode ser usado mais alto ou mais baixo, de acordo com o gosto de cada um. O fixador, secador e escova são a tríade responsável ela manutenção desse penteado. O moicano moderno é um ‘revival’ em cada temporada, mais moderno e menos radical ‘punk’. Fica como opção, raspar ou não as laterais. Já no topo da cabeça, predomina o moicano comprido, penteado para cima e espetado.

Segundo o hair style, Franklin Júnior, 27 anos, profissional do segmento há mais de 10 anos, integrante da equipe do salão JR Cabelereiro, localizado em João Pessoa, os tradicionais militar, surfista e social visam manter a originalidade do estilo próprio do cabelo masculino, mas continuam na moda vindo com algum diferencial. “O corte sofreu uma repaginada, antes era todo raspado nas laterais, vem agora com degradê de números, o que vai diferenciar é o descontectado na parte do topo, porque antes no militar tinha que cortar bastante e deixar o designer todo certinho. Já o militar repaginado tem como diferencial o desfiado”, pontuou o hair.

Uma tendência forte que iniciou nas passarelas é o top knot ou coque masculino, lembra o penteado utilizado pelos samurais e vem agradando os homens que gostam de chamar mais atenção. “De acordo com os utensílios de modelagens, as escovas, pomadas, gels, fixadores, os homens estão usando muito o coque, que é o nozinho em cima, da cabeça, usados pelos atletas, jogadores de vôlei, basquete, futebol. E em ocasiões mais sociais também”, relatou Franklin Júnior.

Papel do profissional é essencial na hora de definir o corte

Escolher um corte de cabelo não parece ser tão simples. De acordo com Franklin Júnior do salão JR Cabelereiro, os clientes chegam com uma ideia e os profissionais traduzem e reproduzem no corte. Porém, é preciso entender que nem sempre o corte desejado é o indicado para o estilo e, idade e formato do rosto. Atentar para o equilíbrio entre corte e traços do rosto é uma forma de evitar excessos e possíveis erros de interestação. “Os cabelos que são trends chegam para nós e reproduzimos de acordo com a opção do visagismo, estudando o estilo do rosto, traços, na idade do cliente também, para poder alcançar o equilíbrio do visual completo”, alertou.

Os cortes, sejam eles modernos ou tradicionais devem combinar com cada formato de rosto. Se a pessoa tem o rosto redondo, o cabelo grande e cheio, é ideal uma desfiada sobre o rosto, com franja repicada, pois o aspecto despojado dá uma preenchida no espaço vago, deixando o rosto mais quadrado. “Pessoas com o rosto retangular, afilado, deve usar um topete mais curto, com a cabeleira mais cheia, pois essa forma confere mais volume ao rosto”, especificou o profissional.

Os cabelos volumosos devem também ter uma atenção maior, mas pessoas com uma cabelereira vasta podem aderir as transformações dos fios e contam com várias técnicas que ajudam a manter o corte mais rebuscado, como o rockabilly. “As transformações dos fios são a nova tendência da moda e está sendo bastante aderida pelos homens. Para chegar ao resultado que se quer, está sendo mais fácil porque já existem vários tipos de ferramentas que facilitam na manutenção de alguns cortes, principalmente para quem não tem cabelo liso mas deseja um corte mais diferenciado”, garantiu o hair stylist.

A idade é algo a se avaliar também na hora de escolher o corte ideal. Não que exista uma regra, afinal, o recomendável é usar aquilo que traga satisfação e bem estar. Todavia, se o objetivo é buscar o equilíbrio e adequar-se aos padrões é bom observar o visual como todo e o contexto o qual está inserido. “Os homens se preocupam muito com a profissão e a imagem vai ajudar nessa consolidação, mas o que pode ser levado em conta é o estilo, por exemplo, não adianta fazer um cabelo desfiado se o estilo é mais formal, e vice-versa”, ressaltou. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.