Esportes

Russa leva 10 Milhas de Jampa; competição homenageou Chape

Paraibanos dominaram a corrida e venceram em cinco categorias.




10 milhas de Jampa, corrida de rua, Evelina Shamarova, pódio (Foto: Reprodução / TV Cabo Branco)Muita gente acordou cedo neste domingo para participar das 10 Milhas de Jampa. A largada aconteceu às 6h, mas antes teve um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do acidente com o avião que levava o time da Chapecoense, que aconteceu na última terça-feira e causou a morte de 71 pessoas. Foram mais de 2.300 corredores partindo na avenida Cabo Branco para disputarem três provas: 5 e 10 quilômetros, além das 10 milhas, que corresponde a aproximadamente 16 quilômetros.

O curioso é que além dos paraibanos, que dominaram a corrida, quem levou a melhor na prova principal, das 10 milhas, foi a corredora russa, Evelina Shamarova. Na categoria masculina, o vencedor foi Luciano Eleoterio, de Lucena-PB, que após liderar a prova de ponta a ponta, subiu ao lugar mais alto do pódio.

Nos 10 quilômetros, Flávio José, de Mari-PB, foi o primeiro colocado alcançando a marca de 38 minutos e 58 segundos. Raissa Cristina, de João Pessoa, ganhou no feminino. Ela fez pouco mais de 49 minutos.

Na prova de 5 quilômetros, Luan Tobias, de Rio Tinto-PB, levou apenas dezesseis minutos e quarenta e dois segundos para ser a primeira pessoa a cruzar a linha de chegada. Entre as mulheres, Silvanete Souza, de Santa Rita-PB, venceu fazendo pouco mais de 24 minutos.

Força Chape

10 milhas de Jampa, Chapecoense, corrida de rua (Foto: Reprodução / TV Cabo Branco)
Além do minuto de silêncio, um grupo de amigos também prestou solidariedade às vitimas da tragédia que aconteceu na cidade de La Unión, próximo a Medellín, na Colômbia e causou a morte de jogadores da Chapecoense, jornalistas, dirigentes, entre outros. Eles correram com uma camisa com o escudo do time catarinense.

– É um momento de muita consternação. Estamos muito tristes com tudo o que aconteceu com o pessoal de Chapecó, com o time da Chapecoense e os jornalistas. Queríamos prestar uma homenagem e, por isso, decidimos correr com a camisa e com o símbolo da Chapecoense – explicou o servidor público, Eduardo Albuquerque.

Continue lendo no GloboEsporte.com/pb.