Esportes


Após golpe, atletas buscam ajuda para participar de campeonatos

Família foi enganada ao tentar comprar passagem aérea pela internet.




Arquivo Pessoal/Renato Salles
Arquivo Pessoal/Renato Salles
Família busca doações para participar de campeonatos no Rio de Janeiro e em Curitiba

As atletas paraibanas Maria Eduarda Salles e Renata Salles foram vítimas de um golpe ao comprar passagens aéreas pela internet para participar de campeonatos no sul e sudeste do país. Elas deveriam ter embarcado para o Rio de Janeiro nesta sexta-feira (14), mas, ao tentarem fazer o check-in, descobriram que as passagens haviam sido canceladas. Agora elas fazem uma campanha pelas redes sociais para conseguir participar das competições.

De acordo com o pai e treinador das atletas de jiu-jitsu, Renato Salles, as passagens para competições eram compradas por milhas. "Tem um grupo no Facebook de milhas que sempre a gente entra em contato e essas pessoas que compram as passagens para a gente", disse.

As passagens aéreas seriam para Renata Salles participar do campeonato sul americano de jiu-jitsu, que acontece no Rio de Janeiro, a partir do dia 15 de julho, e para que Eduarda Salles pudesse participar do Curitiba Winter Internacional, que acontece em meados de agosto na capital paranaense.

O golpe, segundo Renato Salles, só foi descoberto na última sexta-feira (7), quando as jovens fizeram o check in e a companhia aérea informou que as passagens tinham sido canceladas. Ao entrar em contato com a pessoa responsável pela emissão dos tickets, foi informado de que se tratava de um golpe. "Mandei uma mensagem e ele me disse claramente que eu tinha caído em um golpe e que aquele dinheiro que eu peguei ele ia gastar com farra", lembrou Renato.

Na tentativa de solucionar o problema, o pai das jovens fez uma denúncia na Delegacia de Defraudações e Falsificações da Capital (DDF). O delegado da DDF, Lucas Sá afirmou que já existem várias vítimas deste golpe na Paraíba. "O golpista utiliza as redes sociais para negociar passagens, normalmente a um preço inferior, por ter um programa de milhagens ou então ser funcionário de empresa que teria acesso a descontos", disse.

Além das denúncias, Renato Salles buscou mais informações sobre o suspeito de aplicar o golpe. "Entramos em contato com a delegacia na cidade onde ele mora e também conseguimos entrar em contato com os pais dele, na tentativa de reaver o valor pago", relatou.

A família das jovens vem procurando apoio para que elas consigam participar das competições em publicações em redes sociais. “Sabemos que vida de atleta não é fácil e nem sempre as coisas conspiram a favor. Sabemos também que tudo está nas mãos de Deus, e pedimos a ajuda de vocês, quem puder nos ajudar de alguma forma, por favor nos ajude”, diz uma das publicações feitas em nome da atleta Maria Eduarda Salles.

Golpe da passagem barata

Ainda de acordo com Lucas Sá, os suspeitos que aplicam o golpe informam geralmente que as passagens só podem ser emitidas pouco antes do horário, o que permite que o golpe só seja descoberto posteriormente.

Para  as vítimas, o delegado orienta que sejam reunidas o máximo de informações. "As vítimas devem armazenar todo o histórico da negociação, perfil utilizado para a oferta das passagens, e-mails, números de telefone, comprovantes de depósitos, conversas em WhatsApp", ressalta. 

Contribuições para as atletas podem ser feitas na seguinte conta bancária:

Banco do Brasil
Agência: 3.501-7
Conta Corrente: 50.150-6
CNPJ: 12.552.562/0001-27
Pessoa Jurídica
Luis Renato Tavares de Sales