Esportes


Marquinhos Marabá quebra o silêncio e avalia fracasso da Raposa

Gerente de futebol do clube paraibano aponta a quantidade de técnicos como um dos maiores problemas




Feriado que nada. No Campinense, o 1º de maio foi de muito trabalho. E de avaliações. Após quase 10 dias sem dar declarações para a imprensa, o gerente de futebol da Raposa, Marquinhos Marabá, quebrou o silêncio e falou sobre alguns pontos que, em sua opinião, levaram o Rubro-Negro ao fracasso no Campeonato Paraibano. O mais grave deles? Ter quatro técnicos ao longo da competição. Mas tem mais: às vésperas da final do campeonato, em que o arquirrival disputa o título, ele diz que Celso Teixeira, técnico do Treze, está entre os nomes analisados para assumir o clube para a Série D do Campeonato Brasileiro.

Vamos por partes. Marabá diz que até hoje o Campinense busca as respostas para o questionamento do que deu errado na equipe durante a disputa das três primeiras competições disputadas em 2017. Na visão do dirigente, a diretoria tem parte da responsabilidade nos resultados negativos da equipe, mas salienta que quem entra em campo são os jogadores e uma parte dos erros têm que ser creditada a eles também. "Em um contexto geral, todos nós erramos. Mas agora vamos procurar corrigir os erros e evitar que eles se repitam", contou.

Agora, sem dúvida, o maior dos erros foi a quantidade de técnicos que passaram pelo clube. Foram quatro. Pois passaram pelo comando da Raposa os treinadores Paulo Foiani, Sérgio China, Ney da Matta e Dinho Silva (este último de forma interina depois da demissão de Ney da Matta).

Continue lendo no GloboEsporte.com/PB