Esportes

Dinho avalia que a eliminação do Campinense se deu no jogo de ida

Auxiliar técnico assumiu o time interinamente no jogo da volta com o Treze.




O empate sem gols com o Treze nesse domingo acabou com o sonho do Campinense de ser tricampeão estadual. A Raposa não soube administrar a vantagem de jogar por empate na soma dos dois resultados e sucumbiu diante o Galo já na primeira partida das semifinais, quando perdeu por 2 a 1. Para o auxiliar técnico Dinho Silva, que comandou o Rubro-Negro no último Clássico dos Maiorais do ano, a incompetência do grupo por não conseguir a classificação se deu no primeiro jogo, quando, durante os primeiros 16 minutos de bola rolando, o Alvinegro já tinha marcado duas vezes contra a meta de Glédson.

Logo após a derrota para o Treze, na última quinta-feira, o treinador Ney da Matta foi demitido pela diretoria do Campinense. Para o jogo da volta, Dinho assumiu o time. De acordo com o técnico interino, se a Raposa tivesse jogado o primeiro clássico contra o Galo do jeito que jogou nesse domingo, a equipe teria mais chances de chegar à final contra o Botafogo-PB.

"Eu acho que, quando se vai para um mata-mata, o primeiro jogo é essencial porque o segundo se joga com o resultado embaixo do braço. E foi o que aconteceu. Se nós tivéssemos feito um jogo como nós fizemos hoje, com um time aguerrido, compacto, como o Campinense é acostumado a jogar, eu tenho certeza que nós não teríamos tomado os dois gols (no jogo de ida) e, com certeza, para o segundo jogo, teríamos mais facilidade", analisou Dinho.

Continue lendo no GloboEsporte.com/PB