Esportes

Justiça da Espanha pede prisão de Neymar por corrupção

Empresa que detinha investimentos do jogador acusa família de corrupção.



O Ministério Público da Espanha pediu dois anos de prisão para Neymar. De acordo com o jornal El País, os procuradores apresentaram na manhã desta quarta-feira (23) suas acusações contra o brasileiro e apontaram para a suspeita de corrupção.

Além da prisão, o procurador José Perals recomenda uma pena de cinco anos de prisão ao ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, considerado como a pessoa responsável pelo contrato com o brasileiro. O clube ainda teria de pagar 8,4 milhões de euros (R$ 29,8 milhões) em multa, segundo o jornal espanhol.

O MP espanhol ainda quer que a família de Neymar pague multa de 10 milhões de euros (aproximadamente R$ 40 milhões). Na peça de acusação apresentada pela DIS à Justiça, eles pedem ainda a prisão de Neymar pai, o ex-presidente do Santos, Odilio Rodrigues. A DIS alega que a família Neymar agiu de forma corrupta. A DIS cobra também indenização ao Barcelona.

Entenda o caso
 A família de Neymar é acusada de omitir o valor verdadeiro da transação do atleta para o time espanhol, ocorrida em 2013. Oficialmente, a venda foi firmada em 17,1 milhões de euros. A DIS detinha 40% dos direitos do craque. O Santos possuía 55%, e Teísa possuía 5%.

O Barcelona pagou 40 milhões de euros diretamente para a empresa N&N, dos pais do jogador. No processo que tramita na Espanha, a DIS entende que essa quantia fazia parte da negociação e que, portanto, deveria ser repartida entre os então detentores dos direitos.