Esportes

CBB é suspensa de torneios mundiais pela Federação Internacional de Basquete

De acordo com anúncio da federação, a CBB ainda precisa de "reestruturação".



Fernando Frazão/Agência Brasil
Fernando Frazão/Agência Brasil
Comitê executivo da FIBA lamentou a situação do basquete brasileiro apenas três meses depois das Olimpíadas

Por razões financeiras, estruturais e pelas ausências em competições internacionais, a Federação Internacional de Basquete (Fiba) suspendeu a Confederação Brasileira de Basketball (CBB) nesta segunda-feira (14). A decisão ocorreu após "múltiplas ocasiões" em que, de acordo com a Fiba, foram promovidos apoio e flexibilidade à CBB antes dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, ocorridos em agosto.

De acordo com anúncio da federação, a CBB ainda precisa de "reestruturação" e não está cumprindo completamente suas obrigações como uma federação nacional da Fiba. No dia 27 de janeiro, o órgão vai reavaliar a situação da confederação brasileira. Por meio de nota, a CBB se disse surpresa com a punição e disse que buscará os meios "formais e legais" para "preservar o basquetebol brasileiro".

O fato de a CBB não ter participado de competições internacionais e continentais, além de ter falhado na organização do Fiba 3x3 World Tour, no Rio de Janeiro, foram alguns dos motivos para a suspensão. Segundo a Fiba, as abstenções prejudicaram um grande número de jogadores, que perderam chances de se qualificar e competir internacionalmente nos próximos anos.

Entre as competições que a CBB não mandou equipes para representar o Brasil estão o Sul-Americano sub-15 feminino, Sul-Americana Feminina Sub-17, o Sul-Americano Sub-15 masculino, o Mundial de Basquete 3X3, além do cancelamento dos campeonatos brasileiros de base em 2016.

Além disso, de acordo com a Fiba, a CBB mantém dívidas por um "longo período de tempo" com a federação, apesar da concessão de períodos de carência. A confederação também está com uma dívida de aproximadamente R$ 17 milhões e não pagou à Fiba o convite para jogar o Mundial Masculino de 2014, o que fez com que a participação da modalidade na Rio 2016 estivesse ameaçada.

O comitê executivo da FIBA lamentou a situação do basquete brasileiro apenas três meses depois das Olimpíadas e estimulou "fortemente" a CBB a colaborar com a Força Tarefa criada recentemente com o objetivo de reorganizar e desenvolver o esporte no país.

A confederação brasileira manifestou surpresa com o anúncio já que, informou, um representante da Fiba foi enviado no início deste mês ao Brasil para analisar a situação e não mencionou a possibilidade de suspensão "em momento algum". "Na próxima quarta-feira [16], a CBB diz que comentará todos os itens elencados pela Fiba e irá pontuar o que de fato acontece no basquete nacional para que a sociedade avalie e forme sua opinião sobre esse episódio", informou a CBB, por meio do comunicado.