Esportes

Lutadora paraibana Bethe Correia revela assédio na internet

Bethe escancara assédio e lamenta receber conteúdo obsceno em seus perfis.



Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram
Nos comentários abertos, há frases como "essa bunda é a atual campeã" e "melhor bunda do MMA"

Bethe Correia é ativa nas redes sociais. A lutadora, uma das mais conhecidas do Brasil, recebe elogio dos fãs, tira dúvida dos torcedores, dá conselhos, posta frases motivacionais e mostra seu trabalho como profissional do esporte. É isso que os 117 mil seguidores da paraibana no Instagram conseguem visualizar. O que só a atleta tem acesso em seu perfil, porém, é assustador: ela recebe todos os dias vídeos obscenos, frases desrespeitosas e ofensas nas mensagens privadas. É um assédio que atinge não só a ela, mas também a outras atletas do Ultimate. Nem mesmo o fato de serem lutadoras impede a aproximação, mais forte no mundo virtual devido a um suposto anonimato.

Conhecida em diversos países - especialmente pela rivalidade criada com Ronda Rousey, ex-campeã do UFC -, Bethe explica que o assédio maior é de estrangeiros. Ela conta, em entrevista ao Combate.com, que muitos enviam vídeos em que se masturbam assistindo às suas lutas de MMA.

- É a primeira vez que alguém me pergunta sobre esse assunto. Eu passo por isso todos os dias, é bem complicado. No Brasil temos mais aquelas "cantadas de pedreiro", mas nas redes sociais é todo dia, principalmente de pessoas do exterior. Eles são mais malucos, não sei nem como nomeá-los. É assédio pelo Instagram e pelo Snapchat, de sete a dez vídeos por dia. Os caras mandam vídeos se masturbando com fotos minhas. Às vezes, chegam ao cúmulo de se masturbarem vendo a minha luta ao mesmo tempo, sendo que ali estou trabalhando, praticando um esporte. Eles se excitam e mandam isso individualmente. Eu acho que tem muito homem que tem fetiche em lutadora de MMA. São homens que têm fantasia de transar com uma lutadora. Bloqueio pela inconveniência, mas sempre tem um tarado novo.

Continue lendo no Combate.