Esportes

Clubes divergem sobre regulamento da segunda fase do Campeonato Paraibano

Interpretação de regulamento causa confusão e provoca a revolta de presidente do Sousa.



Edgley Lemos
Edgley Lemos
Reunião foi encerrada nesta segunda-feira sem definições sobre critérios de classificação para a próxima fase

O que seria apenas uma reunião protocolar se transformou numa grande discussão a respeito do regulamento do Campeonato Paraibano. Dirigentes dos seis clubes classificados para o mata-mata sentaram à mesa para acertar a tabela da segunda fase, mas a definição acabou ficando para hoje. O que está certo é que a competição para por duas semanas, por causa dos compromissos de Campinense e Botafogo na Copa do Nordeste e Copa do Brasil.

Assim, a segunda fase será disputada nos dias 10 e 24 de abril; as semifinais, em 4 e 8 de maio; e as finais, nos dias 11 e 15 de maio. Caso o Campinense seja eliminado precocemente no Nordestão, a decisão será antecipada em uma semana.

A confusão aconteceu por causa de uma interpretação do regulamento. O Botafogo se apega ao Artigo 14, que não considera o saldo de gols como primeiro critério de desempate no mata-mata, e sim o número de vitórias em toda a competição. Isso beneficiaria, de cara, o próprio Belo, além de Campinense e Paraíba de Cajazeiras. A tese foi sustentada pelo vice-presidente do Botafogo, Breno Morais.

A interpretação revoltou o presidente do Sousa, Aldeone Abrantes, que chegou a se retirar da sala de reunião.

O encontro durou mais de três horas e foi preciso a intervenção do presidente da FPF, Amadeu Rodrigues, que admitiu que o regulamento é omisso e prometeu consultar a diretoria técnica para uma definição ainda hoje.

TORNEIO DA MORTE


Bem menos polêmica foi a definição do quadrangular que vai apontar os dois rebaixados para a segunda divisão. Os jogos começam já a partir do próximo domingo, com as rodadas seguintes nos dias 6, 10, 13, 17 e 20 de abril. A tabela será divulgada ainda hoje.