Esportes

MP recomenda adiamento do Paraibano e FPF corre para obter laudos

Além da possibilidade de adiamento, Ministério Público colocou como opção a 1ª rodada com jogos sem público.



Uma reunião de emergência foi convocada ontem pela Federação Paraíba de Futebol (FPF) para discutir o início do Campeonato Paraibano. O problema foi a determinação do Ministério Público em adiar a competição ou que as primeiras rodadas sejam disputadas sem público.

Durante quase três horas, dirigentes dos dez clubes da primeira divisão discutiram as duas possibilidades, mas não chegaram a um veredito. De certo mesmo, é que vão pressionar os órgãos competentes para a liberação dos laudos até a sexta-feira.

Logo depois da reunião, uma comitiva saiu em direção à Granja Santana para uma audiência com o governador Ricardo Coutinho. O objetivo é garantir os três laudos dos estádios administrados pelo governo - Almeidão, Amigão e Perpetão -, o que garantiria o início da competição já no fim de semana. O Estádio José Cavalcanti, em Patos, está praticamente liberado.

A possibilidade é de fazer jogos sem a presença da torcida, ideia, a princípio, rechaçada pela FPF. "Seria horrível [jogar sem torcida]. Por isso convoquei essa reunião com os clubes, para avaliar a situação. Eles é que vão decidir o que será feito daqui para frente, se querem adiar ou jogar sem torcida. A federação vai acatar o que for decidido até sexta-feira", avaliou Amadeu Rodrigues, lembrando que desde novembro a FPF cobra os laudos.