Esportes

Para acabar em alta, Seleção brasileira enfrenta o Peru em Salvador

Dunga deve manter a base do time que empatou com a Argentina, com isso Hulk segue como opção no banco de reservas.



Rafael Ribeiro/CBF
Rafael Ribeiro/CBF
Atacante paraibano Hulk continua como opção no banco de reservas

Terminar o ano com tranquilidade. Esse é o objetivo da Seleção Brasileira que enfrenta o Peru nesta terça-feira, às 21h (da Paraíba), na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela quarta rodada das Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

Depois do empate por 1 a 1 com a Argentina, em Buenos Aires, os canarinhos, que somam quatro pontos, assumiram a quarta posição, entrando na zona de classificação. Se manter nela é a senha para evitar aumentar o clima de cobranças. O problema é que os peruanos, na sétima posição com três pontos, ganharam novo fôlego com o triunfo por 1 a 0 sobre o Paraguai.

Dunga, técnico da Seleção Brasileira, tem procurado trabalhar o aspecto psicológico de seus jogadores, mostrando que o importante é ter tranquilidade para construir a vitória. "O Dunga sempre nos fala que as Eliminatórias nunca foram tranquilas para a Seleção Brasileira. Portanto, precisamos ter tranquilidade para sabermos lidar com a pressão. O jogo contra o Peru é importante e por isso mesmo vamos em busca da vitória", disse o goleiro Alisson.

A única alteração prevista na Seleção é a entrada do zagueiro Gil na vaga de David Luiz, suspenso por ter sido expulso contra os argentinos.

A seleção peruana tem mudanças para esse jogo. O goleiro Pedro Gallese e o volante Josepmir Ballón ganham os lugares, respectivamente, de Diego Penny e José Reyna. O meia Christian Cueva, que cumpriu suspensão contra o Paraguai, reaparece na vaga do experiente Claudio Pizarro, que ficará como opção no banco de reservas.